8 de nov de 2009

55a Feira do Livro

Depois de uma caminhada de quase 40 minutos a pé, chego em casa para tomar um café mais reforçadinho e sair com a bike.
Recebo ao longo da semana convite para o Passeio Ciclístico à Feira do Livro. O tempo está apenas nublado nesta manhã de domingo. Enquanto abro emails e termino meu break fast, o fone toca é alguém do jornal Correio do Povo perguntando se eu sei algo sobre a visita dos ciclistas de PoA à feira?

Como não sei se foi adiado, ou se já perdi a hora, aviso um amigo que vem vindo de Esteio para pedalar aqui no gasometro e decido encontrá-lo para irmos juntos ao encontro da galera. Porém a hora passa, e ele não aparece! Decido procurar por algum indicio desta visita e passo no Jornal do Comércio para apanhar um exemplar e receber um delicioso cafézinho no stand que, fica na feira do livro.


Circulando meio timidamente de bike pela feira, avisto um ciclista que, parece já estar de saída. Tento chegar até ele mas, ele é ágil e o perco de vista. Chego ao lado do stand de autográfos e encontro ao seu lado, outro stand onde as pessoas chegam e recebem das atendentes uma poesia que retiram de dentro de uma cestinha com um talher. Me aproximo mais e percebo que são papéis comestíveis e com sabores em forma de poesias, dos escritores Fabrício Carpinejar e Moacir Sclyar.