31 de mar de 2011

OI OZZY



Passei o dia inteiro só me lembrando de como fui e assisti ao show do OZZY no Estádio do Gigantinho, na noite de estréia em solo brasileiro.

Difícil descrever como foi até chegar no show e entrar, mas eu novamente realizei um desejo que era de rever o "Príncipe das Trevas", ou Pai do Rock como alguns gostam de classificá-lo.

Não foi muito tranquilo sair de casa a noite no pedal, sem saber ao certo sobre como deixar a magrela. Pensei em primeiramente deixá-la no bicicletário do Shopping Praia de Belas. Mesmo tendo ligado na informações do shop, quando num de meus trabalhos eu costumava ir lá e deixava a magrela esperando estacionada num paraciclo que ficava na entrada, de frente ao Parque Marinha do Brasil. Ali podia se deixar a bike por várias horas, pois tinham guardas que permaneciam na guarita que era a entrada dos funcionários do shop.

O dia passou e eu sem saber! Como vou fazer? Quero sentir novamente a mesma sensação de ouvir a música do Ozzy Osbourne, só que agora não mais teria a mesma chance que tive em 1985, no I Rock and Rio, onde acessei o palco e vi o show todo, lá de cima! Foi uma sensação indescritível olhar aquela multidão, como se por alguns instantes eu pudesse sentir o mundo a meus pés.

Ontem, depois que consegui entrar, graças a um convite que ganhei de um amigo como cortesia aos clientes da OI. Só que acessamos o show de lado, pois tudo estava completamente lotado. Lá fora o movimento para ver o jogo do Internacional era bem grande também. Até achei que fosse ser bem menos procurado pelos gaúchos entrarem no show, ao invés de irem torcer pelo time, que aliás o OZZY não fez a menor questão de prestigiar, porque se enrrolou numa bandeira do time do Grêmio. Depois de algum tempo a bandeira foi trocada por precaução, pela do Estado.


Mas, a bike ficou mesmo no estacionamento de entrada para o estádio de futebol. Nossa! eu me sentia única no mundo! Novamente foi uma grande experiência ir a um show do peso desse metal. Noutra ocasião fui ao Gun´s que, só para lembrar, deu uma canseira histórica nos fãs!

Puro desrespeito. Mas, o senhor Osbourne é mesmo muito profissional.
Me declarei defensora dele num depoimento em que o ofendiam assim: Marly Maravalhas Gomes diz: Um músico/compositor que chegou aonde ele chegou e que ainda emociona e levanta gerações! Ele é bem acima de críticas, ele faz bem! Todo meu respeito a esse dino do rock. Vida longa ao "Princípe das Trevas".

Presenciei antes de entrar no show a um aflito que não sabia oque queria, se ficava no show, os saia e ia torcer por seu time! Ele saiu! Mas estav indignado reclamando muito que não se via nada do palco. Não aguentou nem meia hora lá dentro. Prá segurar a aonda do peso tem que gostar muito! E eu sei que eu gosto, sempre gostei e vou gostar até o fim da vida!
Os Dinossauros nesta noite sobreviveram.