18 de ago de 2010

Dia-a-Dia

Nossa! Estou abarrotada de idéias para fazer posts em meu blog, porém assim como as idéias veem em mente, também fogem!
E convivendo com os micos do dia-a-dia, como agora meus pobres ouvidos tem que aguentar da minha janela. Tenho que ouvir urros animalescos dos colorados que, antes mesmo do jogo à noite, já estravasam sobre a possibilidade de vitória, na decisão da Taça Libertadores contra o time do México, o Chivas.

Mais outro que foi um mico, veio de um guarda da CET. Foi assim, desviei dele com a bike quando ia cruzar a sinaleira, lembrando que a maior parte das sinaleiras da região central foram mudadas e agora são munidas de uma espécie de cronometro que avisa em quantos segundos se pode cruzar a via, sem perigo de um carro te acertar. E, embasada nessa contagem eu ia passar quando faltavam alguns poucos segundos e a maioria dos pedestres já tenham feito sua travessia. Esta é uma rua ao lado da UFRGS que é a mesma que, encontra-se com a entrada do Viaduto da Conceição, e que cruza com o ínicio da Av. Osvaldo Aranha e é bastante movimentada em certas horas do dia, sempre.

Voltando ao mico, que aliás eles fazem e nós é que pagamos pau. E não era que o guarda da CET, também é ciclista, e me reconheceu. Eu estava ainda sob a calçada e ele aproveitou para disparar esta: E Ae? trabalhando muito? Ele sabe que estou desempregada, mas a resposta (em ano eleitoral) ficou entalada. Disse-lhe: Ah, claro que sim! Mas, foi eu sair dali que a ficha caiu, e foi a ficha do: ah é?! Em efeito retardado, podia ter respondido assim: Ainda pagando as contas, do meu passado, claro, quando não fui seletiva e relacionei-me com quem nunca deveria nem ter conhecido!


Brincadeirinha à parte, os relacionamentos no meio ciclístico, nem sempre são saudáveis, como é a prática do esporte! Comigo muita gente que, nunca fiz um "A" de mal, me tem como avessa. Mulher sempre leva na bucha! O homem é levado sempre muito mais na base da palhaçada e ai nós, levamos sempre a pior. Somos julgadas por não poder nunca demonstrar qualquer sentimento. A menos que seja o de Cinderelas, Belas Adormecidas, Princesas, ou como se gosta tanto aqui no sul, o de Misses, Giseles, Xuxas, e etc.
AhAhAh!

15 de ago de 2010

Corrida e mais Maratona

Neste findi teve dose dupla.
No sábado, às 16:00h mais uma Etapa do Campeonato de Rústicas da Redenção. Corri o percurso que seria de 8.000m, porém acabou por ser 6.900m dentro do Parque Ramiro Souto. As inscrições foram feitas mediante apresentação de documento de identidade e 1kg de alimento não perecível para doação ao Comitê da Fome. Esta é a primeira prova de corrida da 2a Etapa 2010.

Fui de bike e a deixei amarradinha me esperando, pois fazia bastante frio e tinha minhas coisas, ainda por pegar no clube em que fui nadar, depois de correr nesta prova. É minha terceira participação e pretendo dar continuidade, principalmente porque gosto muito de correr em chão batido. Por todo percurso do circuito é pintada no chão com giz uma lista branca a se seguir.

Em minha primeira participação tive uma certa dificuldade de encontrar a pintura no chão, por culpa da intensa circulação de pedestres pelo parque que fizeram com que, a lista de giz desaparecesse em alguns pontos. Nada demais, claro! Mas, em minha segunda volta me enganei, e fui em lado oposto. Notei que não havia ninguém correndo e apenas um rapaz vestido de blusa branca, o que me fez pensar que ele fosse um fiscal de prova! Como não era, voltei por onde tinha entrado e esperei passarem os corredores que vinham mais atrás e retomei a rota.

A CORRIDA DO FOGO SIMBÓLICO DA PÁTRIA
A corrida foi realizada, pela primeira vez, no ano de 1938, no Rio Grande do Sul. Neste ano de 2010 será, pois, realizada a 73ª Corrida, sempre promovida pela Liga da Defesa Nacional, constituindo-se em um dos atos de abertura da Semana da Pátria.

A expectativa e o apelo da Liga é no sentido de que os nossos Municípios, numa cadeia de civismo alcance todo o território nacional e realizem a Cerimônia do Fogo Simbólico da Pátria para comemorem a Semana da Pátria, com eventos esportivos e culturais.

Para tanto, neste domingo estive em Novo Hamburgo para na medida do possível encontrar-me na BR116, com os atletas amadores que carregaram o Fogo Simbólico num revezamento e maratona até Porto Alegre. Apenas não permaneci todo o tempo acompanhando meus colegas, pois já imaginei oque me esperaria com o fim da faixa de acostamento na BR, até Porto Alegre.