14 de out de 2012

Oque é para ser meu ninguém tira!



Pedalar, não tem sido algo ultimamente oque me force a organizar-me para não deixar de fazer, pelo menos de duas a três vezes por semana eu corro. Esta tem sido minha principal motivação. Por isso tendo muitas medalhas desse esporte, mas vira e mexe alguns fatos no mínimo estranhos acontecem!

O mais recente foi na Corrida do Carteiro que aconteceu hoje lá na cidade de Canoas.
Me levantei bem cedinho e fiz meu breakfast. Sai de carona com um amigo que tem moto e ia fazer sua estréia na caminhada de 3 km, ela aconteceria antes da corrida de 10km.

Todos a postos após os preparativos, como aquecimento, alongamento e muita hidratação é claro, porque ia fazer calor no horário de largada que eseria às 9:20hs da manhã.

Difícil apostar quem se saíria bem porque como a premiação era muito boa veio gente até de outros estados competir. E foi mesmo este o caso do vencedor que era do Paraná.

Eu, em geral sempre conheço minhas concorrentes de faixa etária, mas hoje não foi muito fácil identificá-las. Já sabia desde o início quem levaria e ganhei na aposta, só não contava com a ida ao podium de uma competidora chamada para ocupar o 3o lugar, pois não tinha visto ela durante o percurso, mas as outras duas primeiras eu conseguia avistar, enquanto corria.

O locutor anuncia as ganhadoras e fico ali por uns instantes a pensar sobre essas colocações e, começou a me dar uma angústia e um desespero, e isso foi o motivo que me fez procurar de início amigos e amigas que tinham corrido e que tinham feito melhores tempos na geral. Logo descubro que de fato eu havia farejado algo de muito estranho.


Achei mesmo que minha suspeita não daria em nada, mesmo que mais fatos viessem a confirmar minha desconfiança de que a terceira colocada não completou os 10km. Um amigo tinha feito 39 minutos e afirmou que ela tinha passado no pórtico de chegada na frente dele.
MAS COMO ISSO?

Dai em diante agitei e fui parar na frente do podium para falar com os organizadores, mas nem precisou muito porque meu amigo foi até a "tal" que tinha levado o troféu sem fazer o trajeto todo e ela acabou por se entregar, e CLARO, ME ENTREGAR O QUE ERA MEU DE DIREITO!

Acredito muito mesmo na antiga frase popularmente conhecida: que o que está guardado para mim ninguém tira!