23 de jul de 2014

Felinos ao léo

E dureza!

Quando começa essa chuvarada na capital! Primeiro que fico impedida de me locomover de bike, depois que os felinos de uma rua próxima de casa que vivem num terreno baldio, pegado a uma casa em reforma, parada há meses, e sem nenhum morador (que só aparece de quando em quando, e joga os pratinhos e panelinhas de água que coloco na calçada fora)!

Já me agrediu verbalmente e ligou para a polícia.

Numa manhã quando o vi ele abrindo a janela da sala, bem na hora que fui alimentar os felinos achei que seria o momento para conversarmos sobre os felinos!

Realmente ele é um sujeito muito arrogante, de mal com a vida e grosseiro ao extremo!

Tentei explicar que tinha como ir retirando eles dali aos poucos com uma armadilha emprestada de uma amiga, mas ele não aceitou qualquer termo de minha proposta, mesmo eu isentando-o de qualquer gasto. Ele alegou que pessoas passavam ali e atiravam alimento humano na entrada da casa. Eu expliquei que não era eu, pois tenho levado ração, e apenas isso a eles.

Soube por vizinhos que ele já havia vindo ali para retirar os gatos e ofereceu dinheiro ao vigia em troca de ajuda! E, pelo que soube não se concretizou tal ajuda!

Assim os 5 felinos, sendo 4 filhotes e a gata mãe ali foram permanecendo e continuam agora 3 deles, sendo a mãe que já pariu nova ninhada há uns 20 dias (mas eu desconheço aonde ela os esconde), mais 2 filhotes grandinhos. Consegui retirar com a armadilha 2 e os mesmos estão em recuperação numa clínica após serem castrados, e esperam possíveis donos. Eles são bastante arredios, tanto que estou indo duas vezes ao dia tentar prender os outros, mas sem sucesso até aqui!

Registrei protocolo no SEDA no dia 28 de junho, eles confirmaram a vinda de fiscalização. A novidade é que eu levei dois dos gatos para serem castrados em clínica particular e a gata mãe já pariu novamente! Ligo e ligo e ligo.... e cada vez é uma desculpa para não darem a menor importância! Agora a secretaria continuar a ser paga e os funcionários idem, mas a solicitações dos cidadãos corajosos em arregaçar as mangas e se prestar a fazer oque o poder público ignora continua, e ainda nos tratam como um NADA!



15 de jan de 2014

Vereadores fazem passeio de bicicleta para avaliar ciclovias



Destaque para a fala do Koptike:
"É uma guerra onde a pessoa tem que sobreviver, um passeio de bicicleta, ou a vir trabalhar, eu me senti obviamente inseguro, principalmente onde não tem ciclovia (eu coincidentemente moro muito pertinho do vereador, inclusive) to feliz por ter chegado vivo, estou aqui como um sobrevivente...por enquanto a cidade só tem paliativos." E a resposta do Capellari foi exatamente como eu esperava que fosse, ou seja aqui tem sido assim prá minha vida de quem veio de tão longe buscar qualidade de vida! Ouvir sempre igual os argumentos de quem está no poder e tendo diariamente voz nos meios de comunicação prá despejar nos meus ouvidos coisas como isso:
"num sistema de circulação como é Porto Alegre, cada um tem que se adaptar".

Não vou me Adaptar, me Adaptar.... a Porto, não tão Alegre assim, não!