17 de jul de 2010

Construindo a ciclovia

http://www.clicrbs.com.br/zerohora/jsp/default.jsp?uf=1&local=1§ion=Geral&newsID=a2973562.xml

Oque faz uma Mulher numa Bike

Mulheres Correm com Homens maus

E hoje teve mais pré-estréia e fui ver um filme esperadissímo por aqui do diretor/ator Quentin Tarantino, "À Prova de Morte". nada que ver com bikers, a não ser que tive que tomar um busão, porque a chuva amaldiçoou o fim de semana dos ralés que, não vão subir para ver neve (se é que rola) na serra. Mas, o filme me causou um desopilamento da raiva/ódio que já senti lá no Kill Bill.


Mulheres seriam dondocas na visão deste drama que estariam em busca de muita azaração e bajulação por conta de serem jovens, bonitas, burguesas e conhecidas. Porém, um homem as vem observando e como nas histórias em quadrinhos se aproxima delas no momento certo. Dae prá frente os instintos machistas e brutos são só imersões de sustos, pavor e aflição no telespectador. Por fim, acostumados que somos a conviver com a impunidade na sociedade machista que temos apenas aceitamos o fato da liberdade de mais um monstro à solta pelas ruas.

Bem ao estilo Tarantino onde ele vai do susto, à sensação de que a desgraça vem vindo na forma de passado todo filmado em preto e branco com novas vítimas, provavelmente. Agora as moçoilas surgem juntas novamente, e o vilão aparece se insinuando para agir outra vez. Seria um momento, digamos, de suspense e paciência. Com conversas que sempre giram em torno de sexo, homens, mundo das vaidades, como moda, ou situações com chefe no trabalho elas vão divagando enquanto passeiam de carro. Mas, duas das mulheres falam derepente uma outra linguagem, que é a da velocidade, de carros, de aventura, bem característico de um mundo onde transitam mais os homens, do que as mulheres. Surge um sonho que as fará se tornarem presas deste inimigo que acredita estar à prova de morte em seu veículo. Mas, eu não vou fazer spoiler.

16 de jul de 2010

Porque hoje é sexta-feira

A semana foi bem mais rápida que a outra, não sei se só eu que sinto isso?
Talvez o frio nos deixe assim ansiando por casa, comida, um bom programa na tv, ou mesmo um bom filme, e claro um pouco de internet. Tenho ido a palestras com ambientalistas, jornalistas, biólogos e ativistas pela causa vegetariana, em pleno estado do Rio Grande do Sul.

Anteriormente já fui praticante de macrobiótica, e modéstia parte muitos foram os que em minha casa aprenderam a se melhorar na mudança de hábitos. Meu dia-a-dia foi sempre feito com preocupações que abranjam modos sustentáveis de consumo, e de mobilidade urbana, e de vida sem sedentarismo.

Nunca fui obesa, porém em minha infância sempre fugi dos esportes, sendo que, isso era uma maneira de estar mais próxima de uma pessoa que cuidei da saúde desde que eu era menina, ainda.
Me refiro a minha avó que, tinha uma doença adquirida pelo contágio com seu esposo, e a mesma a deixou com reumatismo deformante nos joelhos, até o final de seus dias. Lembro que não haviam tratamentos eficazes na época e as dores que acompanham essa doença são terríveis e muito assustadoras a quem presencia o sofrimento. Me senti por anos impotente ao seu lado.

Para mim, esportes eram carrinho de rolimã, empinar pipas e andar de bicicleta. Pedi por anos um brinquedo que chegou e não mais se prestou a me fazer praticante, os patins(!) demoraram muito a virem, quando os ganhei eles eram daqueles que se moldam de acordo com o tamanho dos pés. No entanto, eram feitos de ferro e me assustava colocá-los e sair na rua de casa, que mesmo sendo muito calma era uma rua de lomba. Me lembro que abria constantemente os joelhos em quedas, durante minhas largadas no topo da rua, com a bike. Os machucados não chegavam nem a cicatrizar, pois minha avó acreditava no mito de que devíamos arrancar as casquinhas para não marcar a pele. E assim eu cresci!

SAÚDE PELA PRÁTICA: III CNE ETAPA ESTADUAL NO RS

SAÚDE PELA PRÁTICA: III CNE ETAPA ESTADUAL NO RS

13 de jul de 2010

Dia mundial do rock

Neste 13 de julho, dia mundial do rock and roll, minha emoção e homenagem a uma pessoa que, superou-se e continua a brilhar no mundo da música, Hebert Viana e Os Paralamas do Sucesso. Mais uma vez passo a ser apreciadora do talento deste nome na música brasileira e as extensões que conseguiu pelo globo esta fabulosa banda de rock.

Código Florestal

E domingo nasceu com sol novamente, e no protesto de ambientalistas neste dia 11/7, às 10h da manhã tinham coroas de flores, mudas de árvores e o féretro seguiu chamndo os populares para se juntarem a indigNAÇÂO que remendou o Código, pior do que antes. O parlamentar Beto Moesch diz no megafone, precisamos deixar a natureza se regenerar. Outros clamavam a impedir que pessoas que querem ameaçar e destruir florestas prossigam. Precisamos pedir que deixem a natureza se recuperar das agressões do homem, basta que deixemos simplesmente ela viver. O lema viva e deixe viver parece que foi o clamor do parlamentar a meu ver naquele instante.

Outras entidades estiveram presentes no ato e representaram literalmente, a tentativa de se enterrar de uma vez nesta nação a proteção a natureza. Hoje nota-se que faltam muitas vozes para se juntarem a esta nobre causa em defesa do planeta terra.