2 de fev de 2011

Baratas nas calçadas

Eita cidade que tem baratas!
Enquanto caminho na calçada com minha cadelinha que passeia de manhã e de noite, fujo de ter que ser obrigada a esmagar estas criaturas nojentas, as baratas em Porto Alegre. São inúmeras, tem as que adentram sua residência, as que te esperam nas calçadas, e as que aparecem de surpresa. São umas incovenientes.

É só chegar o calor e elas saem em uma quantidade assustadora de locais como bueiros, bocas de lobo, caixas de gordura nas cozinhas, buracos na terra, são inúmeros locais onde elas habitam e te fazem sentir um verdadeiro pavor ao saírem passear como donas de tudo! Isso é uma das coisas nesta cidade que também não me acostumei.

Hoje fomos ao super e encontramos atirado atrás da gondôla, de produtos como inseticidas e refil anti mosquito, um dos produtos entre os mais caros, para extermínio de insetos. O produto vem com 6 caixinhas que tu coloca no chão numa espécie de armadilha para baratas. Ele sai em torno de 10 pilas. Nós não podemos ficar utilizando-nos de sprays por um simples motivo, temos animais dentro do ape. Eu já me utilizava do antigo método das baratinhas das bolinhas de naftalina, mas a coisa tem sido mais islâmica e agora tem-se que apelar para novos métodos. Vejo na Tv os sprays de parede que lançam jatos continuamente, mas confesso que não dá para confiar plenamente neles.

Pelo preço considero que sejam eficientes, mas isso ainda é relativo, pois eles devem ser pelo menos um terço melhores que os sprays de apertar com o dedo. trouxe um desses também, pois tinha um preço promocional devido estar competindo ao lado desses de parede na mesma gondola do supermercado que fomos.

1 de fev de 2011

Navegantes

Amanhã tem mais um feriado de Navegantes!
A cabeça está lá no Egito, pois passo o dia vendo e ouvindo notícias do mundo. Primeiro, ouvi que o número de mortos eram cem. Fiquei assustada, pois ouvi novamente e as notícias davam que já estavam em 300 mortos!

Numa bela demonstração de luta pela democracia o povo foi às ruas aos milhares, talvez perto de 1 milhão de pessoas. Isso me lembrou as "Diretas Já"! Certamente que lá os motivos são muito mais sérios, pois o presidente insiste em permanecer no cargo, contrariando toda uma nação.

Ainda sou "daquelas que ficam se perguntando, e sem ter respostas torno a perguntar-me de novo, porque as pessoas estão se virando em futilidades"? Exemplo disso, são pessoas que ganham dinheiro aparecendo-se. Saem em capas de revistas e jornais e fazem desfiles mega perdulários. Enquanto isso, pessoas morrem procurando conquistar mais direitos e, uma política feita para as pessoas normais.

Porque cada vez mais as coisas perdem seu valor? Os vestidos de grife são em geral usados apenas uma vez. Esse descarte de coisas que poderiam ter uma durabilidade muito maior se dá não só com moda, também com material de informática e eletrodomésticos. Tudo adquire um valor exacerbado por sua marca e seu status, mas passados algum tempo tudo evanece, perde o valor e vira lixo.

E incrível é mesmo que fujamos desse sistema alienante, e sem sentido nenhum nos sentimos atraídos por ele. Há meses atrás eu resolvi que devíamos fazer mais economia de energia elétrica em casa. Comecei pesquisando sozinha na internet. Depois vieram os sites de comparação de preços. Após isso, começam a brotar sentimentos de compulsão por comprar e comprar mais!