9 de fev de 2010

Do Eldorado ao Sol Dourado

No dia da padroeira da cidade resolvi fazer novamente, um pedal igual ao de minha estréia em estradas no sul. Foi assim: bem cedinho, eu e mais um parceiro fomos para as pontes do Guaíba meio que, sem saber para qual destino ir.

Em Porto Alegre celebrava-se a 135a. Festa de Nossa Senhora dos Navegantes, um dos maiores feriados religiosos no país. Cerca de 100 mil fiéis acompanharam em procissão a imagem da Santa, que percorreu as ruas do centro da cidade até o Santuário Nossa Senhora dos Navegantes, no início da manhã. Em seguida os fiéis celebraram a data com uma missa campal em homenagem à padroeira, realizada pelo Arcebispo de Porto Alegre, Dom Dadeus Grings.

Passamos pela gentarada e tocamos em frente, que a estrada estaria por esse motivo, menos cheia. O calor ainda era bem suportável, o pior estaria por vir na volta a capital. A BR 290 é muito pouco sombreada pela mata. A sensação térmica que faz no período da tarde, é algo indescritível aos ciclistas. Primeiro começam a se super aquecer as pontas dos pés, depois a cabeça, e a caramanhola fervem!

Nada justifica pedalar perto do horário de meio-dia. Me lembro que quando fui sozinha, eu fui como a chapéuzinho vermelho pela estrada afora eu vou, eu vou levar estes doces para a vovózinha. Nem remendos, ou cola, espátulas, ou bomba eu tinha na ocasião, e nada deu errado! Porque na ida, eu fui de tardinha com sol mais fraco, e isso há mais de cinco anos atrás, que diga-se de passagem, nem de perto era esse calor deste ano 2010! E no outro dia, na volta fiz, apenas a burrice de ao chegar na BR das pontes, percorrer o trecho todo pela contra-mão, e ai o "bicho pegou". Mas, tirando algumas bolhas nas pernas e o formigamento nas partes sentantes, o resto foi normal.

Como neste feriado temíamos, que na volta a estrada fosse ficar cheia, rumamos de volta do Country Club de Eldorado do Sul, no Km 145, lá pelas 14:00h com sol a pico.
Não rende! Principalmente que, eu já havia furado um pneu quase na frente do clube e creio que o remendo ficou meia boca, pois eu pedalava numa MTB e seus pneus são 2.2 (enormes), e com suspensão dianteira que ajuda a pesar mais. Porém, o calor era tanto que, mesmo com muito caminhão trafegando ficava impossível seguir incólume para "Forno Alegre É Demais faz 42 graus, ou mais".

Depois me lembrei que, estive visitando a turminha do Audax em 2008, numa época, nem tão quente, e nós fomos de speed, e tudo foi muito bem, obrigada. Chegamos até a dar uma mãozinha com as faixas de recepção aos audaciosos(a), na ocasião da chegada dos 400km. Voltamos após um lanchinho lá na Bauganville, junto com o Faccin, debaixo de um enorme viveiro de aves cantando prá nós, enquanto lanchávamos sossegadamente na sombra e água fresca.


Diferentemente, desta vez que o eldorado só se fez dourado nos penetrantes raios de sol. A coisa estava tão ruim que no pedágio, ao pararmos para abastecer não tinha refrigeração, porisso as gurias das cabines estavam a derreter, como nós, e a atendente do postinho de recepção que quase sufova lá dentro, naquele calorão!