21 de out de 2011

A magrelinha que não era uma bike


Numa tarde chuvosa do mês de agosto, quando saia do clube onde frequentemente treino, surgiu diante de mim, muito amistosa, confiada, se esfregando e miando, uma gata magricelinha e frágil. Percebi que ela estava faminta e machucada na cabecinha, além de estar com sarna. Apesar de querer muito ajudá-la, não tinha nenhum alimento para lhe oferecer, o que me deixou muito chateada.

Nos dias que se seguiram pensei muito naquela gatinha rajadinha, e comecei a levar comida das minhas duas gatas para ela. Os dias, porém, se tornavam cada vez mais frios e chuvosos, e muitas vezes nem mesmo a encontrava, o que me deixava muito aflita.

Foi quando fiquei sabendo que haveria um brechó da Ong "Duas Mãos Quatro patas" no meu clube, o que me animou; talvez eles pudessem ajudar a gatinha. Contudo, muitos dias faltavam para o evento e a felina parecia cada vez mais fraca. Resolvi que seria melhor contatar a Ong ao invés de esperar que ela conhecesse a gatinha. No site, acabei encontrando a lista de veterinários voluntários da mesma; grande coincidência, um destes tinha o consultório muito próximo ao clube.

Visitei tal veterinário e expliquei a ele os problemas que vi na magrela; mesmo sem ser veterinária, achava que ela tinha uma gripe e sarna, e acabei acertando no diagnóstico. Mas este acabou sendo um beco sem saída; eu não tinha condições de levar a gatinha, com sarna, até o veterinário, já que contava apenas com a bicicleta.

Insisti na minha primeira solução, a de entrar em contato com a Ong. Encontrei o estante deles no Shopping Praia de Belas, onde contei esta mesma história às voluntárias, mas ela nada puderam fazer por hora.

Num domingo chuvoso, tornei a pegar minha bicicleta e fui visitar a pobrezinha no clube, pensando que ela estaria sofrendo sob a chuva uma vez mais. O que encontrei no clube, porém, foi a feirinha da ong, e nada da gata. Acabei indo falar com as voluntárias, que me contaram que já haviam encontrado a gatinha, que elas batizaram Bicuda, e a levado ao mesmo veterinário que eu havia conhecido. Fiquei muito feliz com isso.

A Bicuda ficou aos cuidados do veterinário por algumas semanas, sempre contando com visitas minhas e das garotas da Ong. Foi quando a cunhada de uma das integrantes da Ong decidiu que levaria a gatinha para Santa Maria, onde ela se chamaria Lupita e finalmente teria um lar.

20 de out de 2011

E o vento levou


Hoje relutei em sair de bike para realizar meus afazeres pela tarde, porém como fazia sol achei que dava.

Arrependimento inevitável, pois fui ao Forum e o mesmo fica próximo do Guaíba onde se sabe que é um dos locais onde a chuva se mostra primeiro e o vento é cruel.

Cruel como o de hoje quando sai do Forum na sinaleira da Borges quase sou arrastada para a pista central da via. Acreditei que deveria ir treinar de qualquer jeito e assim o fiz.

A tarde porém se fez de outra forma, e o foco ficou na luz do entardecer no novo horário de verão. Consegui captar nas lentes da camera as flores, animais e pessoas do parcão que cliquei na lente de minha rolerflex.

15 de out de 2011

Meu dia de Vanderlei


Hoje a tarde enquanto participava de mais uma etapa do Campeonato de Rústicas da Redenção tive meu dia de injustiça, como ocorreu em uma proporção bem maior com o Vanderlei Cordeiro de Lima, enquanto eu corria fui derrubada violentamente por um homem negro que seguia por pequenos trechos um corredor na minha frente. Após fazer-se de cansado por ter tentado acompanhar o atleta ele atirou-se no chão, mas em seguida vendo que fui alertar o corredor de que este indivíduo poderia causar algum problema foi instantâneo: BUMMMMMMMMM! Senti uma pancada forte nas costas e fui imediatamente ao chão que por minha "sorte era areião", sendo que logo a frente já era um trecho de calçamento em pedra!

O atleta de nome Júlio, se não me engano, ficou muito abalado com a situação e foi atrás do homem que vestia roupas normais -jeans e camisa branca, mas calçava tênis, oque me fez acreditar ao vê-lo correndo que estivesse se preparando junto a nós. No momento que ele alcançou o marginal eles entraram em luta corporal, porém logo um policial da Guarda Municipal apareceu numa motocicleta. Eu continuava a gritar polícia e a correr mais lentamente. Já estava indo na metade da 3a volta. Outro guarda vinha na minha frente e mostrei-lhe o homem negro com calças jeans, camisa branca e cabelo grande, pintado de vermelho. Não vi se foi feita a prisão deste indivíduo que representa a meu ver, um perigo para os populares ali presentes.

No mais, eu senti orgulho por ter terminado a prova ainda em condições mesmo toda hematomada pela violenta batida que tive ao atingir o solo. Ralei meu cotovelo direito, minhas palmas das mãos, a nádega direita e em casa, depois foi que fui sentir a dor no pé esquerdo que também bateu forte no chão! Contei a história
várias vezes, inclusive tinham viaturas da BM, às quais comuniquei o fato, porém fui informada que como não parei de correr a polícia não leva o suspeito preso.

Ao terminar a prova fui muito aplaudida, oque me fez sentir bastante recompensada. Um outro atleta ainda brincou me fazendo um elogio que em princípio achei que era incomodação, já que enquanto eu entregava o número do peito e contava oque me ocorreu ele logo gritou: Ela é a culpada, porque quem mandou ser uma bela mulher!Ri muito desse gracejo que ouvi! E ainda, ofereceu-se para me acompanhar na próxima corrida.

Antes do que me aconteceu eu já gostava muito da frase do atleta Vanderlei Cordeiro da Lima: Superar as injustiças com a dignidade. Este tem sido meu lema nos últimos anos.

Campeonato de Rústicas da Redenção


As corridas ocorrem de março a dezembro de 2011 dentro do circuito (de 8km) do Parque Ramiro Souto(redenção) sempre aos sábados de tarde de cada mês.

As inscrições de cada etapa deverão ser efetuadas no local da prova mediante comparecimento do atleta até dez minutos antes de seu início. O atleta deverá apresentar documento de identidade e 1kg de alimento não perecível para ser doado ao Comitê da Fome.

9 de out de 2011

Eita tempo abafado!


E os dias tem sido estranhos do ponto de vista de clima e temperaturas que hora sobem e seguido, abaixam.
Nesta semana na 5a.feira fui até a Zona Sul a noite com amigos para encontrar outros ciclistas que se concentram na frente da loja Dudu Bike Team, às 20:30hs. Passei bastante tempo durante o dia fora de casa resolvendo a vida, ou seja, indo e vindo de bike aos lugares de compromisso.

Domingo um amigo me convidara durante o passeio ao aeroporto que foi realizado com outras gurias que decidiram por aumentar a distância do passeio das cíclicas que acontece todo 2o. domingo do mês. Marcamos encontro no Largo Zumbi dos Palmares, às 19:20hs, mas ele se atrasou um pouco. Fomos pela avenida Edvaldo Pereira, porém não pela via. Até chegar na avenida Wenceslau fomos pela calçada, e isso me deixou bastante apreensiva, já que não tenho costume de subir na calçada durante meus trajetos.

Chegamos lá e já havia movimento de vários ciclistas a espera da saída para o passeio que me informou o amigo voltaria até o largo do qual havíamos saído. Muitos ciclistas se atrasaram e demorou bastante a concentração ali na ruazinha da loja. Eu estava querendo voltar logo, pois me sentia gripando e o vento me irritava bastante, principalmente a garganta.

Acabei vindo embora depois de algumas subidas junto aos ciclistas que iam mais na frente do grupo. Deixei recado para o meu amigo quando já estavamos quase chegando na frente do estádio do internacional. A fome me apertou e fiquei sem noção de mais nada, só queria chegar em casa logo!

Fiquei muito brava com o clima incerto no sábado, pois já estava pronta encima da bike e ao sair para rua a chuva desabou forte! Voltei para dentro de casa e deixei a magrela estacionada. Sai para apanhar uma condução e logo a chuva parou! Perdi um dia que poderia ter sido bom para agilizar minhas coisas mais rapidamente. Odeio depender de ônibus, principalmente nos finais de semana, onde o tempo médio de espera é bem maior.

Paciência!
O olhar da gente sem a bike é outro bem diferente. Existe o maior contato com os problemas do cotidiano de uma grande cidade, onde pessoas que tu puxa conversa numa parada falam em geral sobre violência e, foi assim que tomei contato com a história de um cobrador de uma linha de ônibus que acabara de ter perdido seu carro durante um assalto a uma lanchonete em que ele fazia um lanche para vir embora depois do runo de seu trabalho. os assaltantes lhe tomaram as chaves do carro e ele conta que o pior era passar o findi sem seu meio de transporte e lazer, já que o carro havia sido largado a poucos kilômetros dali, mas a burocracia toda devolveria seu carro, apenas na 2a. feira.

Fiquei tão indignada de ver que lá pelas 2 da tarde a chuva já tinha cessado de vez que sai caminhando até minha casa uma distância de uns 10 a 15km, oque demorou perto de 1:45h prá mais até. Queria muito ir nadar já que a previsão era das piores oque por fim não aconteceu e, ao contrário, o domingo amanheceu meio nublado, e logo o sol forçou sua passagem entre as nuvens pesadas, e o dia se fez claro e ensolarado.

Levantei muito cedinho, já que não choveu como previsto e fui de carona com um amigo até uma corrida que aconteceria às 08:00hs. Foi bem sufocante aquele mormaço da manhã, mas o circuito era bem diferente das outras corridas que em geral acontecem na avenida Edvaldo Pereira. Esta corrida foi na avenida Praia de Belas até a Padre Cacique em diante e voltava ao estacionamento do Shopping Praia de Belas.

Depois ainda encarei uma nadada em um treino básico de 1200m, só para soltar os músculos e caminhar para secar a pele e os cabelos ao sol. Se possível aproveitando o sol para morenar a pele, já que o verão se faz esperadíssimo depois de tanto frio e tanta chuva por estas bandas. ansiei por ir pedalar, mas confesso que as atrações na televisivas me amarraram na frente da telinha por horas e horas. É que hoje a tarde tinha a atividade dos ciclistas jardineiros, ou a Bicicletagem Jardinária.

2 de out de 2011

Grão em grão


É vero!
Diz o ditado antigo: de grão em grão a galinha enche o papo.
Não é que as atividades foram rolando meio que descompromissadamente ao longo desta semana que se finda.

Primeiro fomos os desclassificados fazer nossas compras habituais no Mercado Público e depois esticamos a toalha no chão e fizemos nossa farofada para chamar atenção de todos sobre a intenção de se transformar o Largo Glênio Peres em um grande estacionamento aos finais de semana!

Depois tivemos mais uma edição da Massa Crítica que foi bem interessante devido a iniciativa de um dos participantes, o Natan de imprimir/sugerir um trajetinho. Participei até um dado momento, já que estava fora de casa há bastante tempo quando passamos próximo de minha casa resolvi fazer rolha na sinaleira e, dali mesmo parti! Vendo as fotos depois senti não ter ficado até o final, pois o trajeto passava pelo Túnel da Conceição, e outro motivo que me fez largar foram uns falsos pingos de chuva que foram só para incomodar. Aliás, muita gente deixou de ir na hora H porque a falsa da chuva prevista para sexta-feira pelos meteorologistas, só veio firme e forte de madrugada mesmo!

No sábado participei com amigos da 4a. Etapa Cross Contry de Esteio. Esta é uma corrida com percurso de 5,30 Km(5 voltas) dentro do Parque Galvany Guedes, porém devido às chuvas na madrugada anterior a prova ocorreu no entorno do parque desta vez. Notei que tinham menos concorrentes na categoria feminina, e mesmo assim ocupei um 3o. lugar de quatro participantes.

Já neste domingo tivemos outra saída do grupo Cíclicas que ocorre sempre no primeiro domingo de cada mês. Os encontros saem do Parque da Redenção por volta das 16:00h, porém neste domingo atrasou bastantinho, e por isso mesmo, uma das participantes sugeriu um percurso maior, onde a adesão foi mais baixa, sendo que incluímos alguns ciclistas parceiros que apareceram.

Fomos percorrendo o antigo Caminho dos Parques até o mais próximo, o Parcão, onde a maioria optou por ficar passeando pelas proximidades do centro da cidade. Nós estávamos com uns 10 ciclistas total. Chegamos até o Aeroporto Internacional Salgado Filho e paramos rapidamente para umas fotos e hidratação. Apenas numa das cabeceiras do aeroporto tinha movimento. Fiquei curiosa ao passar por uma fileira de carros estacionados e seus ocupantes estarem observando. Perguntei se a maioria das pessoas estavam aguardando a chegada de algum ídolo, ou figura ilustre, mas não consegui saber nada!

Voltamos eu e a Tati pela 3a. perimetral, pois a mesma é fechada aos domingos e se transforma em rua de lazer, com muitos skates, patins e mini bikes de crianças pequenas.

30 de set de 2011

Mais um dia de massa



Pois é diz-se que a melhor coisa para atleta pós esforço é uma massa!
Eu hoje fui contar ladrilhinhos e depois de um belo e relaxante banhão catei a magrela no paraciclo do meu clube e me dirigi à concentração de mais uma edição da Massa Crítica/2011 que ocorre toda última sexta-feira do mês.

Fui bem na manha por causa que o asfalto estava bem molhadinho e escorregadio, por sorte sai com pneu biscoito da Montain. Cheguei lá já estava coalhadinho de ciclistas aguardando que mais gente fosse chegando. Encontrei um amigo e fui logo lhe contando que tinha conseguido pegar o pneu 1.10 para minha Gtzinha, mas que qual não foi minha surpresa ao me deparar com dois rasguinhos em sua lateral. Tirei de letra, afinal não sou borracheira mas sei que se colar um remendo grande por dentro dá prá ir levando assim mesmo. deixei secando de uma noite para outra. Enquanto isso fiz uma limpeza do quadro e da corrente todinha. Pela manhã o dia estava feio e depois do café decido sair com a dog e fazer umas fotos que no dia anterior me deslumbrou a paisagem e as flores enfeitando a cena toda.


Nossa quanta coisa para contar, mas o importante foi que as fotos ficaram boas, apesar da pouca luz e até de um pouco de chuva, ou de uns pingos na real que caíram pela manhã. Chuva mesmo só mais a noitinha. Voltando a me lembrar da conversa sobre os pneus lá com meu amigo na concentração da Massa. Quando os remendos secaram finalmente outra surpresa o aro da GT é bem menor e não deu!

Agora bateu desespero! Queria muito falar com alguém naquele momento que vi que o pneu era maior, mas não tinha ninguém online na internet. O jeito foi almoçar e esperar para instalar o MSN na máquina e chamar por um amigo em regime de emergência para assuntos mecânicos.

Ele combinou que iria na massa caso não chovesse, porém bem pertinho do horário da saída às 18:00hs deu uma chuvinha e parou! Mas, o amigo não foi! Fiquei observando as pessoas novas e interessantes que iam surgindo, ou que já estavam por lá. Quem chegou arrasando foi o Macedo que veio trajado como um ser interespacial, seu traje era feito de sacos plásticos pretos de 30 litros nos quais ele passou uma fita de durex e deu aquele contorno meio infladinho de roupa de astronauta. Ainda não bastasse ele enfiou no canote do banco a parte do caule de uma folha de palmeira que ia varrendo. "Vo barrendo, vo barrendo...ou varre, varre vassourinha! Foi mesmo hilário ver esta imagem.

O nosso trajeto hoje foi sugerido pelo Natan que inclusive distribuiu a todos presentes uma cópiazinha com um mapa. Fomos em ruas que ainda ninguém tinha sugerido de irmos. Fomos passando por avenidas como a Osvaldo Aranha e cruzamos a Av. Ipiranga nos dirigindo à Bento Gonçalves. Desse trecho em diante eu vi que a chuva começava cair em pingos mais grossos resolvi largar para casa que dali era um pulinho. a chuva voltou a cair só depois de uma hora. Logo quando fui ao super, ao sair das compras nenhuma chuva.

Agora o céu troveja lá fora, mas ainda vou sair caminhar um pouco se não estiver chovendo grosso novamente!

28 de set de 2011

Reformas, consertos e compras.

De manhã comprei balacas para colocar na roda traseira, já que fui há duas semanas na Cidade das Bicicletas e vi que só tinha um par de balacas.

Achei que um par desse para as duas rodas. Somente por pura viagem minha, pois eu já sei há muito tempo que em cada roda vão duas balaquinhas, sendo uma de cada lado!

Os guris me olharam espantados por esse meu distraimento. Eita distraída que eu sou!
Aprendi delicadamente a trocar as ditas cujas sob orientação do Marcelo. Hoje se eu fosse trocar as da roda traseira teria que fazê-lo com muita calma.

E vou ter que ter mesmo muita calma nessa hora, já que consegui finalmente um pneu para trocar na roda dianteira que está no osso faz tempo já.

Foi bem inusitado encontrar este pneu que ainda terá que ser colocado e o farei durante o dia, se possível pela manhã, aproveitando para trocar as balacas também.

No entanto, tenho uma cruel dúvida sobre a troca que envolve o fato deste novo pneu ser de uma medida pouquíssima coisa menor que os atuais. ou ficará maravilhoso um diferente do outro, ou uma porcaria. já soube de ciclistas que usam pneus de duas medidas diferentes e nada de errado acontece por causa disso.

Vou experimentar e depois conto mais sobre. Este é o meu primeiro pneu que fica gasto totalmente, mas também pudera com ele já fiz dois Audax de 200 km. A medida de 1.25 é bastante recomendada, e o estilo slick também é interessante para esse tipo de prova de desafio.

O pneu estava na Cidade da Bicicleta, e eu o vi justamente no dia do último Brique da Bike. Foi um pouco demorado conseguir obtê-lo. Apenas nesta quarta-feira, dia 28 de setembro foi que se realizou a posse. Para que isso acontecesse enviei emails aos responsáveis pela abertura da Oficina Comunitária e são eles quem oferecem apoio aos ciclistas para reformas e pequenos consertos, ela rola sempre nas segundas-feiras do mês, no horário das 16:00 às 21:00 hs.

O ideal seria trocar o pneu lá mesmo, porém nesta segunda a oficina ficou fechada por motivo de força maior. No caso foi devido a uma infeliz declaração do secretário da SMIC, Valter Nalgstein que declarou sua pretenção de colocar muitos mais estacionamentos espalhados na capital, incluindo a área de fora do Mercado Público.

Por este motivo achamos necessário esclarecimentos de sua parte sobre a referência que fez ao público que ele considera serem os clientes mais qualificados indo às suas compras no MP de carro. Nós os "DESCLASSIFICADOS"que vamos de ônibus, trem, bike, patins, skate ou mesmo à pé nos vimos obrigados a manifestarmos nossa justa indignação.

Fomos fazer uma farofada na frente do Mercado que fica no largo Glênio Peres esticando toalhas e montando uma atividade quase que lúdica com malabaris, música, fotografia e claro, ciclistas de todas idades e credos.

Credo hein secretário, que feio ficar falando mal dos movimentos pelo seu twitter hein? a gente ouviu...pegou bem mal.


É importante ressaltar que também foi decidido ocupar o Largo um sábado por mês. Para quem não sabe, no sábado o estacionamento é liberado o dia inteiro. Veja o vídeo aqui.

arteboxflower: Rock in Rio de Bike!

arteboxflower: Rock in Rio de Bike!

22 de set de 2011

Autoridades circulam de bike pela Ipiranga

Hoje pela manhã, marcado para às 09:00hs houve a concentração de autoridades políticas e também as de trânsito, mais alguns ciclistas que oficalizaram nesta data a construção da ciclovia da avenida ipiranga.

Eu tinha que ir ver isso, mesmo que já tenham passado 10 anos do dia em que (data esta bem próxima a este 22 de setembro, Dia Mundial Sem Carro) quando um "atropelador me deixou com uma fratura no braço esquerdo", ali a poucos metros deste super onde eu acabara de sair com várias mercadorias, trazendo-as para minha residência bem pertinho dali.

Bem perto mesmo, sendo assim hoje saí com minha cachorrinha a Nono e, como fazia uma bela manhã de sol fomos alegremente passeando até o estacionamento em fente ao Bourbon da Santana, com Vicente da Fontoura onde peguei ainda o discurso do secretário Capellari e o do prefeito José Fortunatti. Só perdi de vê-los andando de bike pela mesma via que já vem matando e causando danos irreversíveis a tantos pedrestes e ciclistas, como aconteceu comigo mesma!

17 de set de 2011

A opção

Pelas manhãs de sábado opto por ver uma estréia no cinema.
É muito bom entrar no mundo através de um filme. Afora as incríveis identificações que surgem. Ruim mesmo é tu saber que sua vida vale sim um filme e, nunca ter tido a oportunidade de encontrar um roteirista interessado. Há dias em que minha rotina parece que é totalmente inusitada. Por exemplo, sempre vou a meus compromissos de bike. porisso vou destacar aqui os mais interessantes e que me ocorrerem agora.


Estou buscando trabalho dentro de minha área que é jornalismo, mas também já me garanti em outra, o magistério. Essa segunda opção cabe um capítulo a mais, já que o diploma de jornalismo no Brasil foi cassado aleatoriamente por uma meia dúzia de magistrados do STF, no paraíso da corrupção, "Brasília".

Mas, o assunto era a busca de trabalho e não vou me dispersar em outros assuntos, apesar de que eu consigo misturar bem!

Ano passado após ter enviado dezenas de Curriculuns ao grupo RBS, finalmente fui chamada para um teste de um cargo que não sei qual era, mas que a vaga era uma ou duas e era um cadastro reserva. eu não passei é claro! primeiro eu fui disputar a vaga com jovens estudantes na maioria e recém-formados. Chego na sede do RH que fica quaser na frente da cidade das bicicletas na rua marcílio dias e como estou de bike procuro esconder esse fato para não ser discriminada no teste. Infelizmente na frente da cidade das bicicletas não tem paraciclo e o jeito foi chegar o mais naturalmente possível portando o meu meio de trasnporteinusitado (para a grande maioria dos terrestres) e entrar vestidinha com calça leg, tênis, camiseta e mochila para me dirigir à recepcionista e avisar de meu comparecimento pontual.

Muito constrangida, pois noto os olhares dos candidatos para mim eu ainda pergunto a recepcionista se posso ir ao toalete? Lá dentro tento me maquiar melhor e prender o cabelo trocar de calça e de blusa e me sentir mais a altura dos outros concorrentes.

Confio totalmente em mim, mas o final da história não é bom, pois nunca recebi resposta qualquer da parte do grupo. Tomo folêgo e ligo para ouvir aquilo que já pressumia ser o retorno: você infelizmente não foi aprovada. Nào importa quantos nãos tu ouve na tua vida oque importa como diz SHREK:Só porque os outros te trataram mal a vida toda e te mostraram que você era uma pessoa má, isso não quer dizer que você é mal, mas oque realmente importa é oque você mesmo pensa de si próprio. Concluindo cada um está trabalhando o seu próprio caminho!

16 de set de 2011

Tempo

Vou apenas falar aqui que tive um dia cheio e que novamente queria ter postado mais sobre: A corrida 10 milhas mizuno no último domingo, da qual participei. foi minha estréia em uma corrida mais longa que as 'rusticas de 10, 11 e 12 km que já tinha feito'.

Sobre o tempo após chegar exausta da rua ao finalzinho do dia de hoje assisti um documentário na discovery sobre a invenção da máquina do tempo por alguns cientistas que não vou saber quais eram seus nomes, mas enfim eles já conhece tudo que é necessário para o homem voltar no seu passado! Apenas que a matéria prima é meio grande demais para conseguir.

Mas por acaso domingo depois de chegar da rua exausta e faminta ainda assim cuidei de minha cadelinha que nunca dispensa um passeiozinho pelo sol após comer. e assim o fiz, mal eu entro em casaa e vejo a galerinha do Jardinação passar pedalando em direçao ao jardim Botânico, na perimetral, onde muitos participantes já estavam trocando informações neste evento que ocorre uma vez a cada ano.

3 de set de 2011

Correr, pedalar e depois nadar.




Neste domingo quente e ensolarado estive pela manhã junto dos meus numa corrida de 10 km que percorreu pelas ruas próximas do clube da Sogipa que comemora seus 144 anos.
O convidado especial foi o campeão Marilson que deve ter se cansadomais foi de ter que tirar tantas fotos junto aos seus fãs como eu. Ele novamente repetiu sua vitória, e eu achei este percurso horrível de dificil. saímos da Sogipa após correr na pista e alcançar a avenida sertório e voltar no contorno. O sol desgastou-nos muito apesar do horário da manhã. Para mim o problema foi a volta onde pega-se uma grande ladeira no viaduto da perimetral. Não peguei nenhum pódium, já que as competidoras da minha faixa estão muito bem obrigada!

Foi divertido ver a galera dos atletas sogipanos comemorarem. Eles faziam uma cadeirinha com os braços e levavam o vencedor de equipe até o seu lugar no podium. meu tempo foi um dos piores até hoje, fiz 57 minutos média bem acima do meu tempo regular que varia de 52 a 54 minutos. Mas, foi bom chegar e sentir que consegui concluir apesar das condições de lesão que se encontra meu joelho esquerdo. A solução foi colocar gêlo, muito gêlo. Imitei um atleta que vi deitado na grama com as pernas encima de uns sacos de gêlo no chão. Fiz também, já que queria muito ir nadar e, se tivesse folêgo depois de chegar em casa, sair passear com a cadelinha; ainda, fazer um passeio com as gurias no grupo das Cíclicas.

Este passeio feminino acontece no primeiro domingo do mês, com saída em horários que podem variar bastante. Hoje ele saía às 15:00h e por este motivo, não foi possível para mim ir.

29 de ago de 2011

A previsão acertou em cheio

Neste último domingo, 28 de agosto a previsão de chuva forte se concretizou em Porto Alegre, pela manhã toda!

Mesmo assim eu já estava me preparando para correr de qualquer forma, e assim o fiz naquela manhã em que o céu desabou, inclusive durante toda a madrugada choveu. Oque fez o dia parecer pior ainda com um cenário nas ruas pouco agradável para se sair de bike. E, foi assim que me vi obrigada a arranjar uma, ou mais maneiras de me proteger e de fazer com que meu meio de transporte não me pusesse em risco.

Mas, é bastante difícil de não rolar nenhum stress num tempo ruim assim como estava naquela manhã. Eu acordei cedo... e diria que de bode, pois meu joelho esquerdo doía ainda,(lembrei dos sons do Eduardo Duzek e do Rappa) e, apesar de ter sido submetido durante toda a semana a longos alongamentos, massagens e aplicação de diversas pomadas - até de remédinhos em spray mais fortes, eu diria que em dose prá cavalo! O danado, ainda estava incomodando.

O jeito foi colocar uma joelheira para pedalar. outra coisa importante quando começam a doer os joelhos é observar a altura do banco da bike e se ele estiver meio baixo dai a solução imediata é levantar um pouco mais alto. Fiz isso depois de ter deixado ele mais baixo para usar o rolo de pedalar em casa.

Preparei bem a meu modo o desjejum, com café de boa marca e, de qualidade é claro! Acompanhavam biscoitos integrais e pão também. Prá se passar dentro uma ricota ligth, especial e bem cremosinha. Tinha feito na véspera uma tina grande de salada de frutas com frutas variadas bastante saudáveis, como por exemplo, uva itália, kiwi, maçã, banana e mamão, por último juntei uva-passas, mel e açucar mascavo. Querendo incrementar pode-se jogar aveia em flocos, ou cereal por cima de tudo.

Fica uma maravalhosa!

Mas, a minha carona me deixou na mão! Quem mandou eu ficar acreditando que a chuva não ia pintar logo no domingo da corrida da Adidas? Arrumei uma sacola de plástico preto bem grossa que na verdade eu devo ter comprado algo grande que veio dentro dela, pois os sacos de lixo grandes são bastante finos e depois que tu corta os buracos para os braços e para a cabeça podem rasgar todo. Só que com a sacola já vem até as alcinhas por onde se enfiam os braços. É uma capinha de chuva prá andar de bike muito boa. O problema foi eu querer imitar um trabalhador que vi chegar num bicicletário outro dia num dia de chuva com os pés enfiados em duas sacolinhas pequenas de mercado.

Isso é bem perigoso, eu confirmo que pode te causar muitos problemas com seu uso, por exemplo em determinado ponto na via em que eu trafegava domingo, fui parar numa sinaleira e a maldita sacolinha furada no pé direito se prendeu no pequeno pedal.
Bom que foi só um sustinho o pior vinha depois: como chovia muito e ventava do mesmo modo logo a sacolinha prendeu na catraca e ai travou tudo. Dessa vez o susto foi maior, afora que tive que ter calma para tirar da corrente e da catraca o pedacinho da sacolinha presa.
Ufa!
Não passava nenhum pedalante, nem duplinha de dois, nem nada de cicloturistas! E eu ali rezando para não acontecer mais nada! A hora passando depressinha e eu tinha que chegar a tempo de me trocar, arrumar um bom local para deixar a magrelinha molhada, me esperando pacientemente e pronta para mais outro aguaceiro. Felizmente não tive problemas para estacioná-la em local protegido e em segurança. Duro mesmo era ficar de bermudinha e camisetinha naquela chuva gelada e intermitente.

Na largada o calor humano distraia daquela situação calamitosa de chuva forte e muitas poças que só depois dos primeiros 5km comecei a gostar de estar ali, mas o sol apenas abafou-nos e criou-se um mormaço que nem secava e nem aliviava aquela sensação de cachorro molhado. As roupas colando no corpo e o pior de se sentir molhado são os pés nos tênis encharcados e as meias começam a roçar a pele e criam-se assim feridas, bolhas e machucados do atrito se a meia for grossa. Na verdade eu tive tempo apenas de colocar uma caneleira num dos pés, e enquanto procurava a meia fininha na mochila o narrador da corrida anunciava os preparos para a contagem de largada da prova!

Sai com a mochila meio aberta e com um pé de meia e o outro de caneleira que foi oque roçou e me fez uma ferida e mais uma bolha na sola do pé. Eu nessa altura da corrida só me dei conta da dor no pé, nos últimos 2km.

Enfim cheguei ao fim, mas desta vez com um tempo mais baixo que na etapa anterior que foram 54 min para 10km sendo que na outra etapa que não choveu fiz 52 min!

Valeu ouvir o cântico dos atletas na largada da prova como se fossemos todos uns bárbaros se preparando para enfrentar não apenas uma corrida de rua, mas uma verdadeira guerra contra as intempéries do mau tempo que fez para nós naquela manhã!

27 de ago de 2011

Renoir



Amanhã acontece mais uma das etapas do circuito Adidas quatro estações de corridas.
Bacana mesmo são as temáticas dos artistas impressionistas que tem sido homenageados em cada etapa.
Renoir é o homenageado deste domingo dia 28 de agosto, de 2011 às margens do rio Guaíba. Onde centenas de pessoas irão correr as provas de 5 e 10km. Temos previsão de chuva, mas a energia e a vontade de estar num evento assim é bem maior. Já participei das outras etapas e ao final as medalhas se unem formando uma mandala.

De tarde fui buscar meu kit da corrida que era entregue aos inscritos no hotel Swan, na avenida Cristovão Colombo. Eu cheguei de bike e encontrei na portaria um rapaz sentado, de guarda e, lhe pedi para olhar a bike por um instantinho.

Ok, sem problemas, foi bem jogo rápido a retirada do kit com o pessoal da organização. Ainda dei uma olhadinha num brechó chique que comercializava roupas de festa, ali ao lado da sala de retirada do kit. Também tinha um pesssoal fazendo teste de pisada em umas máquinas e eu bem que quiz experimentar, mas meu tempo já estava corrido, porisso me fui.

Montei na bike e fui saindo, porém um carro saindo da entrada do hotel trancou minha frente e tive que seguir pela calçada. No mesmo minuto ouviu-se o estrondo de uma batida. pronto era o tal do carro que me trancou que entrou em cheio no outro que vinha descendo pela via.

A batida não muito foi muito grave pois ambos estavam devagar, mas o barulhão que fez!
Bem, depois disso fui relaxar na piscina que em véspera de corrida é bem bom!

Na volta para casa passei no "parquinho infantil" que queira eu sim, ou não o parque com aparelhos de exercício na redençao tem sido utilizado absurdamente errado por crianças e criancinhas que ali são levadas e deixadas para que brinquem nos aparelhos postos recentemente pela Pepsi para pessoas adultas!
Isso é um absurdo, como diria o Boris carlof...

Me gabando eu?

Nossa esta semana foi que me dei conta que tenho um pneu 1.25 dianteiro na minha bike GT que está completamente careca!

Só rindo mesmo de mim, pois eu olhei prá ele achando que os pontinhos nele mais marronzinhos fossem folhinhas grudadas, isto depois de passar muito tempo pedalando com chuva.
Que nada! Os pontinhos eram a parte da borracha indo prás cucuias. Nunca tinha gasto assim um pneu antes. De fato em minha tragetória ciclística de tantos e tantos anos esta é a primeira vez.

Agora só me resta pesquisar preços e ver se encontro do mesmo pneu traseiro que olhei na banda lateral e a marca é um Tioga.
Depois de alguns minutinhos na internet pesquisando preços, ou melhor comparando como gosto de fazer ultimamente já que tenho tido como hábito fazer compras online. Quanto ao pneu pensei até na possibilidade de comprar usado, desde que eu conheça a procedência, ou melhor dizendo, de quem vou comprar e, se possível, do antigo dono.

Sei que é tarefa árdua, mas eu gosto de cavucar bem fundo mesmo, é do meu estilo. Já descobri que existem marcas bem similares ao Tioga, como o Levorin e o Kenda, aposto que devem ter outros tantos no mercado.

Ontem depois de ter ido pegar uma rebarbinha da reunião na arquitetura, com a turma do ciclopoa@googlegroups.com que vem discutindo alternativas de mobilidade urbana desde o último worshop que aconteceu por uma semana na UFRGS cheguei por lá bem atrasadinha mesmo. neste grupo nós vimos nos reunindo e discutindo, seja pelo grupo na internet, ou nas sextas-feiras na faculdade de arquitetura uma vez por mês com objetivo de auxiliar os trabalhos de implantação das ciclofaixas e bicicletários na cidade.

Nesta última sexta-feira, dia 26, após o nosso encontro alguns de nós seguiram para o Largo Zumbi dos Palmares para sairmos juntos "no pedal protesto da Massa Crítica" em Porto Alegre, que ocorre toda última sexta-feira do mês, às 18:45hs.

22 de ago de 2011

Rústica comemorativa aos 50 anos de Sapucaia do Sul



Na última corrida que fiz - Poadayrun, alguém largou na minha mão um folder de uma prova que iria acontecer neste domingo, 21 de agosto, na cidade de Sapucaia do Sul.

Foi uma Rústica bem diversificada por caminhos adentrando ruas de chão batido com muitas árvores e trechos fora do agito da cidade. Também tinham categorias infantil e caminhada.

Lembrando que quem organizou foi a equipe de corredores da região, a ACORSA que também esteve comemorando seu aniversário como equipe e que sempre está presente nas corridas pelo Estado. Aliás, haviam algumas equipes representadas pelos atletas da ACORES, ASCORCAM e outras que me lembro apenas das suas cidades, como Carlos Barbosa, Caxias do Sul, e tantas outras.

O frio teimou em seguir pela manhã toda enquanto o sol aparecia debaixo de um céu mesclado de nuvens branquinhas, mas o sol se fez pelo domingo afora, só que depois de chegar em casa a única atividade foi brincar com meus animais e, dar um passeio a pé com a dog pelo bairro!

Depois um belo de um cochilo com minha felina de unhas negras e iris cor de mel...uma beleza de miaurrr, pensei como é bom ter animais de estimação. Lá na corrida 3 cusquinhos surgiram faminhos, e cada qual com sua característica, um era ainda filhote, muito medrosinho, o outro adulto, mas muito mais tímido, apesar de seu tamanhão, e o mais espoletinha, e era mesmo terrível - muito agitado, ele era bem pretinho de pelo liso (aliás uma atleta me contou que já adotou um cãozinho dali mesmo, e que este agora estava sendo oferecido para adoção em foto num site! Desejo que ele consiga um bom dono. Em seguida, fui alimentá-los com o pouco que eu tinha ali, que na hora era só uma barrinha de cereal, mas o tempo todo o baixotinho espoletinha se avançava em cada bocado que eu atirava. A solução foi comprar pastel de carne no barzinho lá dentro do ginásio e dar na boca de cada um!



Logo iriam iniciar-se as premiações que neste ano estavam com troféus supimpas. Nunca tinha visto tamanha generosidade no tamanho dos troféus, eram simplesmente enormes!!!!!!!!!!!

11 de ago de 2011

Olá como vai, eu vou indo e você?

Poxa tenho tido tantas emoções. E a cada dia é matar um leão!
Mas tempo, não está sobrando para postar nada aqui por enquanto.
Foram tantas noites e tantos dias que se passaram, uns com muita chuva, outros com menos chuva, mas sempre chovendo em algum momento!
Venho aqui para postar que corri menos do que queria e nadei ainda menos, mas nem foi por culpa minha.
Assim que começou a esfriar mais ocorreram vários problemas para funcionamento da piscina do clube. O mais comum acontecer era tu ir até lá para nadar/treinar e tinha alguém avisando sobre o não aquecimento da água! Fazer oque o jeito para não perder a viagem era ir treinar uns trotinhos pela rua ou pelo parque.

Teve um acontecimento que me marcou bastante e que por sorte acabou bem.
Há menos de um mês, apareceu um felino muito dócil e muito afetuoso se esfregando na gente e se achegando na maior intimidade em busca de afeto lá no clube! logo me apaixonei pelo bichano e passei a me preocupar se ele comia todos os dias e se bebia e se tinha abrigo da onda de chuvarada que assolava o estado todo!

fazer oque meu coração é e sempre vai ser entrelaçado aos animais. desde minha infância que sempre me achei a protetora dos fracos e desvalidos e neste rol se encontraram desde namorados até propriamente dito os animais.
A solução foi surgindo aos poucos para o fato de que o animal não ia sobreviver naquelas condições íngremes que se encontrava ali devido ao mau tempo e também a falta de cuidados médicos, já que logo que o conheci pude detectar em sua carinha um sangramaneto e a pele grossa parecendo-se com sarna. evitava tocar-lhe sem luvas, mas o frio propiciava-me por estar sempre com as mãos cobertas.

Já é de longa data que tenho o hábito de pedalar sempre com luvas1 às vezes que deixei de usar acabei me machucando nas mãos por não estarem protegidas por luvas, sejam as que tenho aos montes de lã, ou um pouco menos as de ciclista, que em geral são um pouco caras.

A gatinha agora eu já sabia que era uma fêmea estava puro osso. Tinha um forte congestionamento nasal...ou corisa, uma espécie de gripe felina não sei bem em que estágio estaria considerando o dilúvio por que passavam os moradores do sulllllllll!
Umas vezes eu fui ao clube apenas para ver-lhe e contatar com o pessoal da Ong DUAS MÂOS QUATRO PATAS que loca um salão do clube para realizar um brechó em prol dos animais de rua. Foram esses anjos que acabaram por encontrar a gatinha ali e a levaram à uma clínica da região do Moinhos de Vento, lá o Veterinário pode medicá-la e, é onde permanece internada.

Outro dia fui teinar como sempre faço e senti falta dela dai a solução foi ir correr e ao mesmo tempo visitá-la para matar um pouco a saudades daquela felina que hoje já tem uma futura dona que até já nomeoou Bicuda. Apesar de meu contato com ela ser bastante frequente, nunca havia notado que a forma de seu focinho e orelhas eram grandinhos! par mim ela era apenas uma gatinha clamando por cuidados urgentes, e que por fim tudo se resolveu! Que bom melhor que os gatos que havbitam os condomínios pegados ao meu que vivem vagando em busca de tudo para sobreviverem.

Por eles consegui agendar castração no projeto novo do COMPAD que ganhou da empresa CARRIS dois ônibus que buscam animais de rua e fazem a castração devolvendo-os depois a sua origem. melhor que isso é nada, pois se estes gatos que vivem por aqui forem finalmente castrados a grande chance de que tenham uma sobrevida mais digna e evita-se assim que outros gatos serjam gerados sem condições. Isso deveria servir!

Com a criação da secretaria do SEDA aqui no Estado há grande chance de muitos animais deixem de sofrer tanto como tenho percebido em minhas caminhadas por todo canto que vou. sejam pelos gatos da redenção, ou os do parcão mas há tantos animais sofrendo em vilas miseráveis com os moradores de rua.

22 de jul de 2011

Sobre penaltis perdidos



Gracie é um filme para quem gosta de futebol. Eu gosto!
Acompanhei a participação da seleção feminina que infelizmente acabou eliminada nesta Copa do Mundo de futebol feminino de 2011.

Mesmo tendo perdido para a equipe norte-americana - que tem mais tradição noutro tipo de futebol. Mas assim mesmo elas foram melhores, além de agradarem aos olhares e gostos masculinos, como o caso da goleira Hope Solo que eu sempre ouvia dentre os comentaristas esportivos um monte de elogios aos seus olhos, etc.

Marta continua merecedora de todos os títulos de melhor jogadora de futebol feminino do mundo, mas os americanos já a levaram para jogar lá! Obviamente eles sabem valorizar mais que os clubes brasileiros este fantástico fenômeno. Depois de tudo que ela fez em campo nesta Copa passei a admirá-la mais ainda.
Problema foi o técnico acreditar e depois continuar acreditando nas jogadas da Daiane.

Por outro lado a seleção masculina de futebol viajou para participar da Copa América na Argentina com muito melhor infra-estrutura e ainda assim jogou muito menos do que devia. Apesar de perder todas as cobranças de penaltis seu desempenho foi pífio. Como dizia o Rauzito é muita estrela prá pouca constelação.

Em Gracie, filme que vi nesta semana na TV mostra justamente como a mulher sofre discriminação dependendo a modalidade esportiva que venha a praticar. Era a histórinha de uma guria que era única filha mulher numa família de mais 4 irmãos, apenas ela não foi incentivada a gostar de jogar bola. Porém, seus irmãos foram sendo treinados pelo pai que havia se lesionado na carreira de jogador e que porisso acreditou que algum de seus filhos se tornaria profissional.

O irmão mais velho Johnny acaba por se tornar jogador do time da cidade em que moram e durante uma disputa de um importante jogo ele erra na cobrança de um penalti que seria decisivo. Naquela noite ocorre após a derrota uma tragédia, onde Johnny falece após um acidente de trânsito. Gracie logo começa a pensar em jogar futebol porque sempre gostou do esporte, porém encontra muitas dificuldades pelo caminho.

10 de jul de 2011

Brasil eliminado no futebol feminino

Comecei a ver o jogo do Brasil quando já tinha sido feito o gool-contra para os EUA, pela jogadora Daiane.
Estava na cozinha e de rádio ligado nas notícias ouvi que estava rolando o jogo para a classificação na Copa. Corri ver o jogo. Assim que liguei comecei a ouvir que os EUA estavam com uma jogadora a menos no time, e porisso mesmo achei que com as nossas jogadoras na seleção como Marta, Formiga e Cristiane ia ser barbadinha.

Não deu nem 10 min na frente da TV, o Brasil cobra um penalti com Cristiane que erra, mas a goleira americana de olhos verdes se antecipou e a juíza anulou e mandou bater novamente, dessa vez quem bateu foi Marta.....e goooooollll!

As americanas desciam a bota na gente o tempo todo, cometiam várias faltas, quando a juíza via, né? E fomos para o segundo tempo loucas pelo desempate e o gool rolou de fato, porém as americnas conseguiram a proeza de marcar de cabeça o 2o. gool aos 46min do acréscimo.

Teve tudo de acordo com as regras como a prorrogação demais 30 min. nada de goool de nenhum dos dois times. Até que teve a cobrança dos penaltis, e neles nós dançamos.Advinhe quem bateu e não fez: Daiane, claro clóvis!

6 de jul de 2011

A identificação

Por muito muito tempo, tempos e tempos atrás eu achei realmente que me identificava com partidos de esquerda, movimentos feministas, terapias alternativas e para completar namorava homens carentes.

Mas a identificação que tive, e ainda tenho, é com o rock and roll. Por este motivo assisti no Dia Mundial do Rock um supimpa de um documentário sobre os Beatles, no canal GNT. E cada um dos quatro beatles era descrito em detalhes muito curiosos. Eu nunca tinha ouvido falar individualmente dos dois beatles menos famosos: Ringo Star e George Harrison (este eu sempre tive muita simpatia).

No documentário noto que ele era um tanto quanto discriminado em seu talento pelos outros dois superstars, John Lennon e Paul Mcartney. Apesar de sua genialidade como compositor, ele se dedicou a seguir o budismo, depois apareceram todos ao lado de um guru indu.

Ao ver a aparição e parceria de George com Ravi Shankar que tocava citara me recordei de meu primeiro concerto na época em que comecei a ouvir música loka.

Fui a um concerto de Ravi Shankar, no Teatro Municipal de São Paulo, na década de 70. e isso é que me trona mais próxima do que pudesse achar com a música dos beatles que amo e ouço até hoje quando me sentir mais feliz é só ouvir.

4 de jul de 2011

Correr no frio


Domingo foi realizado o Circuito de MiniMaratonas SESC, na cidade de São Leopoldo, numa gélida manhã ensolarada. Foi depois de enfrentarmos dias seguidos de chuva e muita umidade parecendo que São Pedro, que, aliás, já passou a sua data no mês de junho, ouviu as nossas preces (dos corredores de rua, principalmente).

No dia anterior a chuva quase me carregou quando sai de Porto Alegre para ir dormir na casa de uma amiga, em São Leopoldo. Cheguei a pensar em desistir no caminho. Num primeiro momento tinha esperança que a chuva parasse de tarde, mas teria que resolver quanto ao horário de ingresso com a bike dentro do TRENSURB, já que agora conquistamos o direito de viajar apenas nos horários que nos for permitido pela empresa de trens. Anteriormente, embarcava-se em qualquer horário nos trens, apenas nos era exigido que tirássemos a roda dianteira da bike. No caso de ir sábado a São Leopoldo de bike eu deveria embarcar somente pela tarde, dentro do horário das 14:00 às 16:00 h, e neste período chovia bastante em quase todo o Estado.


O jeito foi enrrolar mais um pouco em casa e sair depois das 17:00 h usando os coletivos e depois o trem. Fiquei esconjurando a TRENSURB, mas era o destino que desta vez não queria que eu fosse pedalando e sim de bus, gastando dindin. Tu tomás um bus R$ 2,75, depois o trem mais R$ 1,70, chega lá pega outro bus, mais este terceiro eu dispensei, porisso nem sei o valor da tarifa neste outro munícipio. Provavelmente deve ser a mesma coisa, ou mais caro que aqui.

A sorte é que o valor das inscrições do Circuito é um dos mais baixos. Pagava-se R$ 15,00 e ganhava-se uma camiseta, e medalha após completar a prova dos 10km.

CAMISA DE VÊNUS - O ADVENTISTA(Primeiro LP)

ESPN.com.br / Tour de France - Informação é o nosso esporte - VÍDEO: No sprint, jogo de equipe dá vitória a norte-americano; Hushovd segue líder

ESPN.com.br / Tour de France - Informação é o nosso esporte - VÍDEO: No sprint, jogo de equipe dá vitória a norte-americano; Hushovd segue líder.
Neste 4 de julho, a equipe norte-americana levou seus atletas ao podium de uma das mais importantes corridas de ciclismo do mundo, o Tour de France!

3 de jul de 2011

Hövding krocktest




Atualmente, em minha cidade, há um grande debate em torno da criação de uma ciclovia que liga diversos pontos centrais de Porto Alegre. Mas será que a criação de ciclovias é mesmo a solução para os problemas dos ciclistas em meio ao trânsito? Antes de tudo, é importante definir com clareza os termos que nós, ciclistas, devemos conhecer quando o nosso espaço no trânsito é o tema.
O código de trânsito estabelece 3 tipos de vias preferenciais aos ciclistas, que compoem a Rede Cicloviária de uma cidade, sendo elas:
1) ciclovias; pistas exclusivas para ciclistas, separada tanto da pista de rolamento dos carros quando da calçada dos pedestres.
2) ciclofaixas pistas exclusivas para ciclistas, porém não separadas do restante do trânsito; ciclofaixas podem ser feitas tanto na pista de rolamento quanto na calçada, separada apenas por sinalização.
3) via de trânsito compartilhado; quando não há distinção, e tanto ciclistas quanto veículos se deslocam pelo mesmo espaço.
Pois bem. Voltando ao tema; o projeto de uma grande ciclovia na cidade de Porto Alegre já vem sendo estudado há anos ( no Plano Diretor Integrado Cicloviário - regulamentado pela Lei Complementar 626), e a maior pressão devido ao acidente da Massa Crítica forçou as autoridades a apressarem o projeto. Porém, como eu já havia mencionado, há diversos motivos para duvidar da eficiência desta na redução do trânsito violento.

Como bem sabemos, o projeto custará caro, de forma que cada km custará aproximadamente 200 mil reais. E, apesar de tudo, será restrito a apenas um certo trajeto na cidade, deixando que grande parte da cidade fique relegada a segundo plano, forçando o ciclista a competir com carros sem qualquer tipo de preferencial ou de sinalização adequada.

Com isso, devemos nos perguntar: Será que é mesmo a melhor alternativa? Será que não seria mais barato, acessível e abrangente investir na educação do motorista, forçar a distância mínima de 1,5m e fazer uma ciclofaixa em TODAS as vias públicas, assim atingindo um público de ciclistas muito maior?

2 de jul de 2011

Bicicletários pelo país

Hoje ouvi um comentário de um prefeito de Minas Gerais que era a respeito do falecimento pela manhã, em São Paulo, do ex-presidente Itamar Franco. Que como muitos achavam, incluindo a mim, que ele fosse mineiro, mas era baiano de Salvador. O corpo vai ser velado nas Minas Gerais. Ele faleceu no Hospital Albert Einstein vítima de uma pneumonia, às 11:00h da manhã de hoje, onde estava internado por causa de uma leucemia.

Só quero comentar que este prefeito falou que lá em Belo Horizonte foi inaugurada uma ciclovia pela manhã. Espero que ela atenda às necessidades dos ciclistas de lá.
Aqui em Porto Alegre vai acontecer o lançamento de um bicicletário pela atitude louvável de um empresário, domingo de manhã próximo.
Mais informações: http://www.coletiva.net/site/noticia_detalhe.php?idNoticia=41233 e, em
http://www.bicicletasnopatio.com.br/index/

30 de jun de 2011

Só não treino com vento

Apesar de dias de intenso frio no sul, venho dando sequência a meus treinos de corrida!
Com gripe há mais de 10 dias decobri uma receitinha de um xarope meio natural e caseiro, daqueles que nossas avós nos faziam beber ao menos um cálice de noite.

Minha fragilidade nesta gripe se deu devido a um vento frio na saída da piscina sem o devido agasalhamento de um roupão, como os que encontram-se a venda nas lojinhas de artigos para natação. Os melhores tem um precinho meio salgado, ficam na faixa de R$120,00 e R$ 160,00 e, são feitos de poliester e viscose.

Após algumas pesquisas na internet descobri através dos materiais de poliamida e os de tactel e micro suede e, que se tu quer investir, mas como eu, não muito, pode encontrar os modelos infantis que protegem da mesma forma e saem mais baratinhos.

Entrei em contato por email com uma confecção de São Paulo e aguardo retorno para minhas perguntinhas a respeito. Uma dúvida é se o tamanho P que vem no anúncio é do infantil? Isso vou ficar devendo escrever depois da resposta.
Eu tenho roupão cor de rosa atoalhado, mas quando eles ficam no banheiro por um tempo acabam manchados, e como a cor é clarinha fica bem feiinho.

Domingo eu treinei um longão e as temperaturas estavam bem baixas, mas mesmo assim eu tirei o casaquinho corta-vento logo no início dos 10km. Também não levei luvas, nem touca, ou polainas e senti suor apesar das mãos ficarem frias o todo tempo.

Depois corri na 3a. feira novamente, com um friozinho da tarde, e pior foi voltar no pedal. É que por mais que tu esteja quente quando sobe na bike e começa pedalar no vento não tem como se aquecer, principalmente com o trânsito chato da hora do rush... é anda e para, e anda e para! Procuro me enfiar nos cantinhos, bem cantinhos e que sempre são precários e esburacados para passar aqueles motoristas que embicam seus carrões quase ocupando duas faixas da rua.

Todos os dias noto o quanto de gente mal educada dirige nesta capital. Chego a levantar-me do banco da bike afim de demonstrar aos mais afoitos em velocidade que veem pela pista de rolamento da direita, que é por onde eu trafego, que eu estou ali> JESUS CRISTO< JESUS CRISTO< JESUS CRISTO< EU ESTOU AQUI!

29 de jun de 2011

O frio trouxe a Lei Seca

Parece brincadeira isso, mas chamo de Lei Seca ao fechamento, nestes dias de frio, das piscinas do clube que treino!

Apesar de eu estar me recuperando de uma forte gripe que adquiri ao nadar de noite e sair da água sem levar o roupão. Isso que fiz foi um erro primário que espero, não cometer jamais!

Há duas semanas nadei de noite, em piscina aquecida, mas aberta e, fiquei na primeira raia, a pedidos do professor Guilherme, que praticamente me expulsou, da raia em que eu estava nadando, calmamente. Sendo assim, fiquei na última raia, totalmente afastada da escada de acesso ao corredor fechado com toldo plástico que nos leva aos vestiários protegidos do vento.

26 de jun de 2011

Me faltou um desapego

Neste findi esperei anciosa chegar a sexta-feira para sair com o pedal da Massa Crítica que ia rolar com a temática de festival intergalactico, mas me atrasei. A chuva me pegou quando ia chegando no Largo Zumbi e já eram 19:00 hs passadas, e lá quem fez presença pontualmente, largou! Chegamos eu e mais umas cinco pessoas atrasadas, e porisso, não rolou o pedal.

O principal motivo de meu atraso foi novamente o erro do meu banco. Ou melhor o banco que sou cliente, eles são muito ruins de negócio e, pior ainda, são os seus funcionários estagiários. Nada contra pessoalmente, mas desde que não venham me prejudicar. E foi justamente isso que ocorreu e, não foi a primeira mancada deles comigo que sou cliente nova!

Tenho em débito automático a maioria de minhas contas, porisso mesmo, espero obter disso um conforto, este se aplica ao fato de não ter que lembrar-me de fazer pagamentos de todas contas em suas datas de vencimento.

Parece que neste banco, qualquer coisinha que saia da rotina transforma-se em resultados desastrosos, sempre. No mês de abril fiquei sem sinal de internet por dois dias, porisso recorri a empresa que atualizasse os valores no pagamento do mês de maio. Imediamente o fizeram e, por causa do novo valor a ser pago com desconto dos dias sem sinal, procurei o atendimento do banco pessoalmente e lhes expliquei que naquele mês, apenas naquele mês, eu pagaria a conta no caixa do banco e no próximo mês tudo voltaria ao normal. Aparentemente foi captada minha mensagem pelo gurizinho que atendeu-me no banco, porém nesta sexta-feira conferi que não havia ainda sido cobrado o valor em conta corrente no débito automático deste mês.

O pau quebrou!
Liguei na empresa e expliquei-lhes oque ocorreu, enquanto eu falava com o telemarketing da empresa o telfone tocou era a funcionária do banco que já sabia que eu estava muito braba com a falha do atendente e me pediu que aguardasse até segunda-feira para ir novamente ao banco e verificar se foi lá que ocorreu de fato o erro com esta conta não paga por mais de quatro dias.

Me impressiona o atraso de certos funcionários que estariam supostamente ali para auxiliar seus clientes e acabam por prejudicá-los.
Paguei depressinha a conta numa lotérica e devido aos jogos da mega e do prêmio loteria de São João a quina, a fila era kilométrica.

Cheguei em casa e tive que preparar minha roupinha de intergaláctica e o frio era muito grande. Por fim, o traje ficou assim: óculos amarelos, casaco branco corta-vento, calça preta brilhosa porcima da calça de ciclismo, colete reflexivo e polainas com tênis roxinho, além das luvas e da fita nos cabelos.

Ficou dez! Mas voltei para casa e esta já foi a segunda vez que perco o pedal.

22 de jun de 2011

A via dos carros

E finalmente, é oficializado o anúncio do início das obras da futura ciclovia ao longo do Dilúvio, do Arroio da Ipiranga. Veja mais no link do blog do Conselho Municipal de Cultura.

Esta via tem intenso tráfego de veículos e é, toda cheia de lojas, das quais em sua maioria são de compra e venda de veículos, dos quais infestam as calçadas e estacionam onde querem, afora as portas que se abrem sem a menor atenção da parte de seus motoristas, quando descem ao avistar o objeto de seu sonho de consumo: O CARRO.

Mas devo até saudar a atitude do grupo Zaffari/Bourbon que, resolve a partir de agora, entrar com seu capital para a realização desta obra que deverá fazer parte de algumas das outras que tentam se apressar, dentro do cronograma de entrega de obras para a Copa de 2014.

20 de jun de 2011

Mulheres agredidas no trânsito

Pois é,de tanto que pensei em postar um comentário dentre os vários que tinham lá no blog da Cláudia, o link está aqui neste post, mas é o seguinte quando me atropelou um coletivo e não prestou ajuda e nem socorreu-me a ficha caiu que nas cidades o que impera é o motor e, não o amor!

Tem uma banda: O Camisa de Vênus que é dos anos 80 de puro rock and roll que, traduzia melhor a frase que eu magoadíssima com a Porto Alegre dos gaúchos e gaúchas cantorolei muito tempo.
http://www.youtube.com/watch?v=6nzlFzASpkI&NR=1
O Adventista
Camisa de Vênus
Composição : Marcelo Nova/ Franz Hummel
Eu acredito no bem e no mal
Eu acredito no imposto predial
Eu acredito, eu acredito
Eu acredito nos livros da estante
Eu acredito em Flávio Cavalcante
Eu acredito, eu acredito
Não vai haver amor neste mundo nunca mais
Eu acredito no seu ponto de vista
Eu acredito no partido trabalhista
Eu acredito, eu acredito
Eu acredito em toda essa cascata
Eu acredito no beijo do papa
Eu acredito, eu acredito
Não vai haver amor neste mundo nunca mais
eu acredito em quem anda com fé
Eu acredito em Xuxa e em Pelé
Eu acredito, eu acredito
Eu acredito na escada pro sucesso
Eu acredito na ordem e no progresso
Eu acredito, eu acredito
Não vai haver amor neste mundo nunca mais
Eu acredito que o amor atrai
Eu acredito em mamãe e papai
Eu acredito, eu acredito
Eu acredito no Cristo que padece
Eu acredito no INPS
Eu acredito, eu acredito
Não vai haver amor neste mundo nunca mais
Eu acredito no milagre que não vem
Eu acredito nos homens de bem
Eu acredito, eu acredito
Eu acredito nas boas intenções
Mais este papo ja encheu os meus culhões
Eu não acredito, eu não acredito

Sob Nova Direção: Renata Falzoni fala sobre a morte de Antonio Berto...

Sob Nova Direção: Renata Falzoni fala sobre a morte de Antonio Berto...

Concordo em número, genero e grau com o depoimento da Renata. Me toca muito profundamente quanto ela se refere a sermos marginalizados, discriminados e coisas que quem pedala no dia-a-dia sabe bem certinho do que ela está falando!

Já cansei minha beleza de convivência com ciclistas que sempre se encolhem na hora de gritar por cumprimento das leis no trânsito! Parece mentira, mas parei de sair com pessoas no pedal por este motivo e por outros que me parecem muito mais absurdos ainda de contar aqui.

Eu sou e fui testemunha de muitas sacanagens no trânsito e em estradas. Quase em nenhuma das vezes eu vi a presença de policiais ou autoridades de trânsito para que a reivindicação pudesse acontecer e proceder de fato.

Infelizmente um homem morreu e foi como se fosse comigo também! liguei pela tarde para a Lorenzetti dando meus sentimentos aos amigos e familiares e funcionários da empresa; depois fui atendida para resolver problemas de consumidora dos produtos Lorenzetti. Na verdade nem eram com a fábrica, e sim com a assistência autorizada aqui em Porto Alegre.

Sob Nova Direção: Renata Falzoni fala sobre a morte de Antonio Berto...

Sob Nova Direção: Renata Falzoni fala sobre a morte de Antonio Berto...

18 de jun de 2011

Corrida da Maioridade e Caminhada

É neste domingo, a Corrida da Maioridade em Porto Alegre, com percurso de 5km. A largada será às 10:00h da manhã. A retirada dos kits entre às 8:00 e 9:30hs, mediante entrega de 1k de alimento não perecível.

Para participar da caminhada, não é necessário inscrever-se. Basta comparecer à Usina do Gasômetro, dia 19 de junho, domingo, às 9:00h. Os primeiros 500 participantes receberão uma camiseta mediante a entrega de 1kg de alimento ou 1 lata de leite em pó.

O percurso da corrida irá em direção ao centro, pois ocorre no mesmo horário a corrida feminina Donna Run Brasil com largada próxima ao Parque Marinha, às 9:00h.

Eu fui procurar informações sobre as corridas de amanhã e de bike passei de tarde pela montagem dos pórticos e estruturas das duas corridas. Depois fui conferir o espaço de relaxamento e outras atividades oferecidas dentro do mezanino da usina do gasômetro às inscritas, apenas na corrida feminina.

17 de jun de 2011

Lula Molusco nos pedais

Hoje me caiu uma ficha ao assistir um desenho do Bob Esponja na TV, mas me refiro ao uso continuo da bike pela seu vizinho e colega de trabalho O LULA MOLUSCO que é o oposto do Bob!





Inclusive ele curte uma reclinada muito diferente dos guris daqui de PoA. Nesta bike do Lula não tem guidon!



Enquanto o Bob é o puxa-saco do patrão, o Lula faz o estilo intelectual. Para ele o Siri cascudo é sempre tedioso, mas para o Bob Esponja ser escravinho é a catarse!

15 de jun de 2011

Bar da Banha: Algumas curiosidades sobre Gatos


Bar da Banha: Algumas curiosidades sobre Gatos
Resolvi postar sobre as curiosidades dos felinos encontrada no Blog do Bar da Banha...kkkkk

Hoje eu estou bem, e rindo bastante do que minha gata de nove anos, aproximadamente, me fez passar desde segunda-feira até a madrugada de quarta-feira.

Foi hilário demais!

Escrever, para mim, que falo bastante, é meio sem motivação, pois eu sou o tipo que faz comício e tenho horror a compromisso. Ou seja, eu sou FREE, sempre FREE. Ah! e eu sofri demais.

Na parte da manhã, como todos os dias faço, abri meus emails, enquanto tomava um rápido café para em seguida passear com a cadela NONÔ, ou Nonoka, Noviça, Nojenta/Asquerosa e todas as coisas mais. Bem, eu entrei para o quarto que tem terraço e soltei a cadela. A dita felina rebel, Bastet (nome de uma deusa egípcia)estava deitada nos pés da cama, quando ela resolveu descer e começar a criar atrito por causa da presença da cachorra. Me levantei da cadeira de frente ao computador e a tirei para o terraço, depois tendo a empurrado para fora. Mas muita calma, moramos num apto térreo, e a ela só caberia fazer a voltinha no páteo e entrar pela janela da cozinha.

Tranquilo! Apenas se passaram alguns minutos. Achei que talvez ela estivesse meio fora de forma e que fosse ter dificuldade no pulo para entrada da janela da cozinha. Mas, como ela não miou, e nem voltou na janela que eu estava, resolvi terminar de comer uma fruta. Terminado o feito, fui verificar se ela já estava dentro de casa e me surpreendi, notar que não tinha aparecido!

Indignada com a possibilidade de que pudesse ter sido sequestrada por algum arquiinimigo comecei a xeretar tudo, a obra de um edíficio nos fundos, os condomínios mais próximos ao meu e assim dava voltas pela rua, olhando embaixo de carros, cutucando bueiros, subindo e descendo as escadas de meu condomínio. Falava com pessoas conhecidas na rua, pedia ajuda aos pedreiros da obra, entrei em um apê de uma vizinha e ninguém me ajudava e as lágrimas começaram a suplantar o desespero e o choque das primeiras horas de busca alucinada! Minha cabeça pensava milhares de suposições para oque poderia ter acontecido numa fração de tempo tão curta!

Olha, não vai ser filme nem livro essa historinha, mas poderia bem ter sido; depois de dois dias de busca incessante, procurando em veterinários das redondezas, contatando ONGS, até mesmo tendo passado 3 horas na delegacia para registrar BO e (no desespero) feito até pergunta no Yahoo Answers, e sem nenhuma pista do paradeiro da gata, fui deitar ainda mais chateada.

Já eram mais de 2:30 da manhã quando meu filho bateu na porta do quarto, acendeu a luz e...

Surprise!


Tava com a gata no colo.

Depois de inventar as conspirações mais mirabolantes ou as tragédias mais sem sentido, fiquei vendo que a história era toda muito mais simples: a gata estava no apto de uma vizinha de porta, com o apê em reformas. A danada da gata, preguiçosa, nem tentou entrar pela janela; viu a porta de frente abrir, se esgueirou pra dentro e, vendo a primeira porta entre-aberta (pelos pedreiros da reforma), se jogou pra dentro e ficou lá escondida todo esse tempo.

Um dos moradores desse apê até disse que tinha ouvido miados de um gato pela madrugada do primeiro dia em que ela sumiu, mas achei que fossem de gatos que perambulam sem dono nos arredores de meu condominío. Ela consegui não chamar a atenção nem dos dois cães chiuauas que eles têm dentro do ape e latem ao primeiro sinal de barulho na porta!


Os gatos são mesmo muito muito especiais!

9 de jun de 2011

A nuvem vulcânica



A maioria dos vôos para Argentina e Uruguai foram cancelados por causa da origem da fuligem expelida do vulcão Chaitén do Chile.


No aeroporto Salgado Filho nenhum vôo para o cone sul saiu. Já são mais de dois dias que isso tem acontecido em virtude desta fuligem.


Não sei bem o significado dessa chegada da fuligem de tão longe e, que está a nos ameaçar e deixar no mínimo com uma pontinha de preocupação pelo fato de sermos vizinhos.

Só que os efeitos dessa fuligem, sejam elas reais ou não, de fato já me fazem sentir-me mais fraca e com uma dor na garganta que não estava até então. Voltando de noite da reunião na EPTC senti um cheiro horrível de lenha queimada misturada com um cheiro diferente. Imaginei que eram pessoas queimando coisas na rua para se aquecer, como observo há anos, indigentes queimando coisas do lixo, encontrado na beira do Arroio Dilúvio. Só agora percebo que o cheiro e a fumaça devam ser por culpa da fuligem.


foto: superádio piratininga

Reuniões

Hoje tem mais outra rodada com os técnicos da EPTC eles vão expor os projetos da ciclofaixa da Av. Loureiro da Silva. Nós os ciclistas atropelados ou não, deveríamos comparecer para cobrar-lhes sobre o não cumprimento da implantação do projeto aprovado no PDC (Plano Diretor Cicloviário) desta capital aprovado há mais de dois anos atrás!

Até agora oque se viu foram muitas competições esportivas pela serra gaúcha agregando ciclistas com poder financeiro e meios de se deslocarem em seus veículos para competir. Aqui não se vê nenhuma atitude das autoridades no sentido de fazer cumprir os prazos das obras aprovadas de construção das ciclovias nos bairros, locais onde a faixa populacional é mais carente e necessitada de meios de transporte mais econômicos, como a bike por exemplo.

Há muitos anos já venho perdendo tardes, noites e às vezes períodos inteiros do dia para acompanhar junto a meia dúzia de outros ciclistas que parecem ser sempre os mesmos e ouvir aos longos bláblaá blás de promessas e mais promessas dos responsáveis por execussão dos projetos. Parece que oque importam são apenas os prazos de cumprimento das obras a serem entregues até a data da Copa em 2014.

Quando me atropelaram eu protocolei queixa junto à EPTC e escrevi carta e recebi telefonema de um diretor na época que ainda por cima ficou muito brabinho comigo por eu ter metido o pau na "qualidade de vida"que foi apenas oque me fez mudar-me para esta capital de gaúchos e gaúchas e que na real nunca encontrei afinal.

Saio todo dia e não vou em microfones me gabar disso e daquilo, por que além de ter sido brutalmente atropelada na rua por um coletivo que não prestou socorro, fugiu....ESCAFEDEU-SE. E não soube me amar....Oh, Baby! lembro-me sempre disto, pois o principal seriam fiscais no trânsito, bem como sinalização adequada e mais a reeducação dos motoristas dos principais meios de transporte, como ônibus, lotação, taxis, carros e vans escolares. Ainda não ouvi sobre como ficou a promessa da Prefeitura para a reivindicação dos ciclistas feita em 1o. de março?


Dentro de mim, após anos e anos não cala a pergunta: será que será que por eu ser ciclista não merecia o mesmo tratamento dispensado a qualquer um que seja como sou uma cidadã nos seus direitos e nos seus deveres para com minha nação?

Ninguém quer saber!
Desisti há um bom tempo de tentar explicar como é velado esse desrespeito com o usuário da bicicleta, o ciclista no trânsito e, parece que as pessoas entendem apenas quando o martelo bate em seu próprio dedão!
PQP!

Mas, sou neta e filha de espanhóis e teimo, assim como me foi mostrado numa bela mensagem do filme sobre a trajetória do ex-presidente LULA do Brasil...a mãe dele o aconselhou por toda vida: Teime meu filho teime.
Eu teimo e tenho teimado em ser ususária da bike, mas continuo a dizer que sempre serão os mesmos a ir nestas reuniões e que apenas um ou outro vão poder se expressar.

30 de mai de 2011

É mais uma segundona

Finalizar uma segunda-feira é coisa boa, já que passar por ela é tarefa árdua.
Participei como espectadora do I Encontro de Blogueir@as e Tuiteir@as do RS que aconteceu na Câmara Municipal de Porto Alegre nos dias 27, 28 e 29 de maio.

Sai um pouco atrasada por ter ficado bastante dividida entre ir à Massa Crítica, ou ir ao encontro.
Um evento era mais ou menos perto do outro. A saída da Massa é do Largo Zumbi dos Palmares e o encontro era na Loureiro da Silva, 255. Como usuária do modal bike me dirigi até lá de bike, é claro! Considerando ainda que estava friozinho, mas era uma noite bem boa para se pedalar também!

Os horários à príncipio eram os mesmos. Eu acreditei que o encontro fosse iniciar pontualmente, já que era sexta-feira e este é um dia onde todos querem começar a curtir o findi. Me enganei totalmente sobre essa suposição que fiz. Bateu forte um enorme arrependimento lá no fundo da alma.

Foi que antes de eu chegar no encontro passei bem na frente da concentração da galera para o pedal da Massa. O largo já estava cheinho de bikers às 18:30 h. Quase paro lá, mas não deu e segui em frente confiante de que a abertura do encontro já estava rolando.
O credenciamento seria às 18:30 e às 19:30 h estava prevista a abertura com a presença da Secretária de Comunicação e Inclusão Digital do Estado do Rio Grande do Sul, mas esta não apareceu por lá, como muitos esperavam. Nemtampouco a Mesa de Abertura com as presenças de mais dois debatedores Altamiro Borges e Marcelo Branco puderam explanar suas apresentaçãoes para todos os presentes, pois devido aos atrasos muitos se foram e, não foi meu caso. Além disso um site exibia tudo ao vivo o TVSoftwareLivre, do qual ainda não me inteirei.

Na volta para casa passei no Largo Zumbi novamente esperançosa de encontrar os massacríticos reunidos ali para conversar e descontrair um pouco. Aliás, identifiquei dois rapazes por tê-los visto lá no encontro, e estavam com o crachá ainda.
Me disseram que eram de um blog que fala da questão das águas.

Na manhã seguinte teria que oPTar em assistir a mesa de debates com o tema sobre a importância estratégica e a viabilização da comunicação digital, às 9:00 h.
Não rolou!
Me faltou vontade porque a cabeça ficou preocupada achando que tinha corrida na manhã de domingo. A informação que me deixou assim foi lida num jornal de informes comerciais o Runningsul, dizia que a data do Circuito das Estações Adidas seria no dia 29, domingo. Em uma coluna da contra-capa o calendário de próximas corridas desinforma aos desavisados como eu.

Felizmente eles erraram feio!

Agora restava ir treinar um pouco e depois almoçar e ir na segunda parte do encontro que tinha como atividades, na mesa de debates, o tema Políticas públicas para comunicação digital, às 14:00 h e após, duas oficinas simultâneas sobre Administração e ferramentas para blogs, com Tatiane Pires, estudante da PUC e, Redes Socias com Mirgon Kayser da TVE/RS, no horário das 16:00 h.

E foi assim que domingo pela manhã fui direto de casa no maior sossego das ruas da cidade deserta que encontrei lá na câmara mais outro biker, o Flávio que acompanhou os três dias do encontro deixando sua magrelinha estacionada lá no bicicletário caindo de estragado há bastante tempo já!
Fomos até o Brick da Redenção num baita dia de sol, mas de muito frio também para a finaleira do encontro e com a idéia de divulgar os encontros que já são em nível nacional. todos pudemos observar a reação dos frequentadores do parque que a príncipio nos receberam bem!

No mês de junho haverá o encontro nacional em Brasília.

O DILÚVIO blog: [domínio público] O MEDO

O DILÚVIO blog: [domínio público] O MEDO: "::txt:: Eduardo Galeano :: Os que trabalham têm medo de perder o trabalho. Os que não trabalham têm medo de nunca encontrar trabalho. Que..."

23 de mai de 2011

A bicicleta no cinema

PROGRAMAÇÃO
1º Mostra Audiovisual sobre Bicicletas e Trânsito – Somos o Trânsito

Governador Tarso Genro adere ao Dia do Desafio 2011

Um dia totalmente voltado à promoção da qualidade de vida. Assim será o dia 25 de maio em 464 cidades gaúchas. Rio Grande do Sul é o estado que conta com o maior número de municípios participantes do Dia do Desafio 2011 e o evento já tem garantida a adesão do governador Tarso Genro. Na manhã desta quinta-feira, dia 19, o vice-presidente da Fecomércio-RS Nelson Lídio e o diretor regional do Sesc/RS, Everton Dalla Vecchia, acompanhados pelo secretário estadual de Esporte e Lazer, Kalil Sehbe, estiveram reunidos com o governador. Tarso Genro elogiou a proposta do Dia do Desafio e confirmou sua adesão às atividades.
Realizado anualmente na última quarta-feira do mês de maio, o Dia do Desafio propõe que as pessoas interrompam suas atividades rotineiras e pratiquem, por pelo menos 15 minutos consecutivos, qualquer tipo de atividade física. A ação acontece em forma de confronto entre duas cidades de mesmo porte populacional. O município que mobilizar mais pessoas em relação ao número oficial de habitantes vence. Tarso Genro questionou sobre o residual deixado junto à comunidade e o secretário Kalil Sehbe enfatizou que se trata da promoção de uma mudança de consciência das pessoas com relação à qualidade de vida. Já Dalla Vecchia enfatizou que o evento integra o calendário oficial do Estado, por força da Lei 12.492 de 16 de maio de 2006, de autoria do então deputado estadual Giovani Cherini.
O projeto, que conta com a adesão recorde de 93,5% do Estado, é realizado pelo Sesc em todo o Brasil, em parceria com as prefeituras. No Rio Grande do Sul, a iniciativa conta também com a parceria do Governo do Estado, através da Secretaria Estadual de Esporte e Lazer, e da Assembleia Legislativa. Todos os municípios participantes recebem o Troféu Mérito Comunitário pela realização do Dia do Desafio. Instituições e voluntários que auxiliam na promoção das atividades, em cada cidade, recebem o Certificado de Participação.
Na capital gaúcha, diversos pontos contarão com ações do Dia do Desafio. Um dos destaques da programação é a Corrida Noturna, que iniciará no primeiro minuto do dia 25, na Usina do Gasômetro. No Centro Administrativo do Estado acontecerá uma abertura oficial do evento, às 8h30 do dia 25, com a participação do governador e de secretários estaduais. Em sorteio no início do mês, ficou definido que Porto Alegre enfrentará Santa Cruz de la Sierra, na Bolívia. Confira os confrontos no site http://www.sesc-rs.com.br/diadodesafio/relatorio.cfm.htm.
FECOMÉRCIO-RS – Durante a audiência com o Governo do Estado sobre o Dia do Desafio, o vice-presidente da Fecomércio-RS Nelson Lídio entregou ao governador Tarso Genro um ofício solicitando a inclusão da entidade junto ao TARF-RS (Tribunal Administrativo de Recursos Fiscais do RS). “Encaminharei para análise dos trâmites, mas considero compatível a Fecomércio participar desta comissão, pois se trata de uma Federação com grande expressão política”, avaliou Tarso Genro.
Sobre o Sesc - No Rio Grande do Sul, o Sesc está presente em mais de 450 municípios com atividades sistemáticas em áreas como a saúde, esporte, lazer, cultura, cidadania, turismo e educação. Desta forma, o Sesc/RS desempenha o papel social, assim como o Senac o da qualificação profissional do Sistema Fecomércio-RS, entidade que atua em âmbito econômico, político e social pela constante qualificação e crescimento do setor terciário gaúcho.

22 de mai de 2011

Nos meus pés vão...

Adquiri um tênis novo para correr neste sábado e estreei já em duas corridas.
Ele tem amortecimento e estabilidade para todos os tipos de pisada (de pronadores a supinadores leves, não indicado para casos severos), leve, macio e estável, para velocidade. Calcanhar redesenhado, com suporte rígido externo, e cabedal com malha elástica nas laterais do pé para dar maior estabilidade nas passadas e ventilar melhor os pés.


Marca: Nike
Numeração:38 a 44/ 34 a 40
Preço: R$ 250 mas eu paguei 149,00 na loja Centauro
Peso: 269 g (masculino)/ 215 g (feminino)
Categoria: Multipisada

Avaliação dos leitores
Por: Marly
Me apaixonei no designer desta linha de tênis da Nike com o solado inteiriço e bem coloridos. Curti os muitos modelos nesta linha, o lunarglide, lunaracer, lunar swift, lunar elite e lunar sweet, mas a grana deu para o lunarfly e estreei ele no chão de terra e areia, correndo 8km numa rústica e depois no domingo corri na 28a Maratona Internacional de Porto Alegre os 10km (11,80) de outra rústica.

Os 10km que viraram 11,80


Hoje acordei e fui direto, depois de tomar um café, até a largada da 28a Maratona Internacional de Porto Alegre. Passei por muitos trechos pelo caminho que estavam fechados e era por onde os corredores da Maratona passariam, ou melhor como já era perto das 7:15h eles todos já tinham largado de lá da frente do Barra Shop.
Muito se elogia o percurso desta corrida porque passa por belos pontos da capital.

Eu encima da minha bike ia curtindo a tranquilidade das ruas, mas volta e meia sentia e ouvia o encomodo barulhão do motor de um veículo que passava por mim correndo. Isso é muito agressivo mesmo, pois são nestes momentos, em que está tudo mais calmo, que podemos ouvir um passarinho cantando e, de um segundo para o outro aquele estrondoso ruído de um motor se aproximar!

Fui indo, ora na manha, ora me puxava mais, pois minha prova seria por volta das 8:30h, mas cheguei bem antes das 8:00h.
Felizmente!
O dia estava iniciando prometendo ser um dia bem quente apesar da estação de outono. Chegar inteira lá me fez bem. Botar a bike em um local ainda é meio complicado, apesar de que descobri outro dia um paraciclo no shopping, mas ele fica meio distante do local da largada da prova, porisso ajeitei a bike num engradado próxima a outra bike. O problema foi que tinha um tipo de caminhão que gerava eletricidade e ele soltava uma fumaça entoxicante!

Ao chegar para me trocar e deixar minhas coisas notei que a organização do guarda-volumes era impecavél. Inclusive, como não tinha quase ninguém na minha frente pude pedir ajuda para colocar os dois números, sendo que um era no peito e, outro nas costas. Pude ainda fazer umas fotos e em seguidinha já encontrei algumas gurias que tinha encontrado na corrida das Rústicas da Redenção, da qual nós tínhamos feito no sábado, 8km dentro do parque, no final da tarde, às 16:00 h.

Tive medo de forçar as pernas e não completar bem a Rústica dos 10km, que viraram 11,80, pois a organização da prova aumentou a distância do circuito. Muita gente não gostou da mudança. Também achei ruim, o atraso da largada em 5 a 10 min. Durante a prova não vi fiscais, e notei pessoas acompanhando corredor dentro do circuito com bicicleta, oque atrapalhava aos corredores.

Apesar de que me encontrei no quiosque da água Itati, que tem um amigo diretor que também é ciclista, o Marcos Netto, ele me falou do apoio aos maratonistas cadeirantes, no que eu dou total aprovação pela participação oficial deles neste ano. Este amigo contou-me que um grupo de ciclistas acompanhou a largada dos cadeirantes. Eu não vi isso. Oque aconteceu foi que o circuito tinha bastante subidas na ida e, algumas na volta. Na volta o sol começava a se fazer presente e pelo fim do trajeto notei poucos pontos de distribuição de água que não eram feitos pela Itati.

Então, senti que a prova ficou mais difícil ainda, e quando eu adentrava a Av. Diário de Notícias o primeiro corredor da Maratona passou por mim, com todo aquele apoio abrindo a passagem, mais a barulheira das buzinas. João Marcos Fonseca chegou em 2:20:49 e a marca do ano passado não foi superada tendo sido alcançado o record na marca de 2:14 h. Quem me contou me foi um corredor que chegou em 7o. lugar, e era da mesma equipe do vencedor que vestia a camiseta do E.C. Cruzeiro de Minas Gerais.

20 de mai de 2011

Mutirão Cidadão

Nesta semana estive procurando por atendimento jurídico do Estado "gratuito" e, descobri através de um folheto que recebi na portaria da Defensoria Pública Estadual, do centro, que haveria um outro local onde o cidadão pode ser atendido pelas Defensorias Públicas do Estado e da União. O atendimento ocorreu neste dia 20 de maio, das 9h às 16h, no Ginásio do Tesourinha na Avenida Érico Veríssimo, s/n na Cidade Baixa, em Porto Alegre.

O chamado Mutirão Cidadão faz parte da 5a. Semana da Defensoria Pública no Rio Grande do Sul e eu estive lá afim de sanar questões que mesmo tendo contratado um ex-escritório de advocacia, porém permanecia com muitas pendências no assunto e lá me foram esclarecidas.

Ao chegar estacionei minha bike na frente do Ginásio que tem um paraciclo a disposição dos ciclistas como eu que se locomovem em suas obrigações diárias com a bike como meio de transporte. Levei duas correntes, sendo que uma era pra prender a roda dianteira no paraciclo, juntamente com o capacete e a outra para a roda traseira. No entanto ao sair no finalzinho da tarde notei que o local dispõe de guardas municipais fazendo a segurança.

17 de mai de 2011

28a. Maratona Internacional de Porto Alegre

Será que é prá rir ou chorar?

Passei mal no cinema domingo vendo o filme Velozes e Furiosos, operação Rio.
Nem sei bem se esse é mesmo o título, só sei que não vale nem meia entrada de cinema. Um horror, definitivamente horrível do início ao fim!
Parece coisa para criança ver, mas num desenho animado em capítulos, porque ver de uma só vez pode dar enjoôs.
Nossa!

O filme é todo barulhento, com personagens que tu percebe que atacam de fodões, a bem compartidinhos emocionalmente, surgindo esse lado oposto deles - sempre numa situação para demonstrar que apesar do mal-caratismo dos personagens, no final eles são todos os mocinhos e mocinhas da sociedade do carro, e de um modo "a se darem bem com grana na vida, sem fazer nada".

Todo mundo ali dirige como se fosse num outro planeta, que não a terra, desrrespeitando os sinais de trânsito, as regras de segurança, etc.
No início uma escapada de dois dos heróis que foi muito difícil digerir.

Seguinte: há um transporte num trem de três super máquinas, carangas envenenadas e caríssimas, tipo carros modelo Ferrari de muitos milhões. Os personagens principais saem um perseguição ao trem que vai o outro mocinho para ser resgatado. porque há uma traição no roubo planejado dos carros e tudo dá errado na hora H. mas alguns abndidos são exterminados na luta e surge uma ponte de ferro que só passará o trem que ainda transporta um dos tr6es carros e mais o mocinho. Mas mesmo diante do iminente desastre o mocinho pula no carro do amigo e ambos caem de uma imensa altura dentro de
uma lagoa e, caem primeiro o carro e depois os dois que, submergem sem um arranhão!
Depois de um outro assalto a uma caixa forte dentro da sede da polícia os dois personagens carregam em seus veículos uma caixa forte que vai o tempo todo causando destruição e vários acidentes, onde pessoas quase são amassadas, bancos são invadidos, restaurantes e, ainda há capotamentos e absurdos que os veículos causam a outros carros, sendo que eles estão sempre ilesos e firmes na mesma condição, ou seja sem um arranhão!

Simplesmente TERRÍVEL.
Minha vontade era levantar e sair no meio do filme!