8 de set de 2010

Expointer premiação

E continuou a cair água sobre o sul inteiro! Mas a vida segue.
Como todo ano acontece, nessa época chove e claro, o recinto de exposições em Esteio inaugura mais uma Expointer debaixo d´água e muito barro.
Enquanto me agilizava em casa, dentro do meu cronograma de atividades rotineiras um colega jornalista me conta que o Presidente da República ia aparecer na maior feira de eventos dos agronegócios da América Latina. Dai em diante, eu me programei o mais rápido possível para aproveitar a estiadinha que a chuva dera. Com essa trégua da chuva pedalei até onde sempre deixo a bike, e de lá tomei o Trensurb que, nem demora tanto. Estava atrasada para ver a chegada do Lula Lá, mas ao desembarcar na Estação de Esteio vou descendo a passarela e pergunto a uma brigadiana que está numa das saídas, mas ela me informa que esta havendo um atraso no pessoal da comitiva.

Corro para entrar no portão da imprensa e a chuva começa cair fraquinha novamente. Vou até os últimos portões e não posso ingressar por ali, alguém me informa que devo ir ao portão de frente às passarelas de onde eu tinha vindo. Descubro onde é o portão que fica exatamente em frente à BR 116. Consigo adentrar mas, o lodaçal está de cobrir toda a minha botinha nova. Tudo bem! Faz parte do meu show! Começo a sentir a movimentação das pessoas e dos seguranças e policiais dentro do parque inteiro com os preparativos para a chegada nos locais onde o Presidente irá passar. Ai encontro uma frota de carros da SUSEPE, e pergunto a um dos policiais onde encontro o Lula. À princípio ele demonstra desinteresse em saber me informar sobre o assunto, depois me indica o Pavilhao da Agricultura Familiar. Sigo até lá e me aproximo de um monte de pessoas quase que amassando o pequenino Lula. Noto que hoje ele tem muitos cabelos branquinhos, e os mesmos estavam todos molhados de suor que a recepção, dos ali presentes lhe fizeram em muitos abraços e poses para fotos.

Fiz também algumas fotos que, sairam apenas do seu cocoruto...hahaha!!!!! Ele entrou ligeirinho num carro todo preto enorme, com mais outros tantos caras trajando roupas do tipo CQC, ou MIB, Homens de Perto, não importa. Lembrei-me de um dos meus dias na militância de porta de fábrica lá em São Paulo nos anos 80. Lula a voz não mudou nada, mas os cabelos, quanta diferença.

Nenhum comentário: