29 de abr de 2009

O Urso


Em mais um sábado daqueles onde planejo, planejo, e não faço! E ainda que dentro de uma sala de cinema a vida aconteça, mesmo quando queiramos ficar ausentes dela.

Mas enfim, vejo na telona o filme Terra que mostra como funciona a sobrevivência animal hoje. Como dizia o cantor/compositor Beto Guedes: "Terra tão te maltratando por dinheiro".
A Disney mostrou neste filme a vida familiar e o desenvolvimento de três espécies: os elefantes, as baleias e os ursos. No filme marcou muito mais a narrativa da vida do urso, pois ela nos põe na cara que pela nossa interferência brutal de consumo excessivo e inútil essa espécie está sendo extinta aos poucos do planeta.
Seremos mesmo humanos?

Fiquei triste, e disto surgiu um porquê na minha cabeça por dias e dias!
Teríamos nós o direito de determinar o fim de futuras gerações de espécies animais no planeta?
Espécies que diferentemente de nós, conviviam em harmonia com as suas sobrevivências.
O filme mostra-nos que através de nossa interferência na natureza geramos catástrofes, como no caso do urso polar que deveria poder se alimentar normalmente, mas que com os degelos das calotas polares está morrendo.

Outra demonstração da falta de planejamento nas cidades, tem sido o abandono de cães e gatos, seja pelas ruas das cidades, ou pelas rodovias, num assustador crescente.
Como ciclista e cicloturista, inclusive, presencio cenas de profunda dor e sofrimento, que por pouco me fazem querer continuar em minhas andanças. Sim, porque é triste, quando posso apenas ser a observadora, e por conta disso, me vejo em posição de total impotência.

Presenciei recentemente um grande cão que atreveu-se a cruzar a BR 116, apesar de meus protestos e gritos foi de encontro à morte, de uma maneira muito cruel. Atravessou a pista e chegou num paredão, de onde ele não deve mais ter conseguido sair com vida...
Infelizmente! De noite na cama, eu fico pensando se....
Existe amor ainda?
Ou como a extinta banda "Camisa de Vênus" cantaria: Não vai haver amor... neste mundo nunca mais!
- Eu acredito, eu acredito. Eu não acredito, não acredito... não vai haver amor neste mundo nunca mais!!!!!!!!!!!!!!
Por sorte que pela mobilização de alguns, acaba de passar um PL na Assembléia Legislativa do RS que prevê o fim do sacrifício animal nas zoonoses, possibilidades de castração e fim dos maus tratos aos animais.

Isso me fez lembrar de uma reportagem no CQC, programa jornalístico da TV Bandeirantes, sobre uma protetora dos cães, em Carapicuíba, São Paulo, D. Regina. Ela que cria 500 cães abandonados nas ruas e que são levados a ela por ser a única alternativa, já que na cidade, não existe centro de zoonoses. como em muitas outras localidades do país!

Ainda assim, há uma polêmica hipócrita sobre o assunto. Vizinhos que se fazem de vítimas por conta dela abrigar tantos cães, numa área que diga-se de passagem é muito organizada e grande.

Torço muito por gente como ela com iniciativa até xiita, num mundo que incentiva o consumo de cãezinhos feitos de pano e são vendidos a preço de ouro nos shoppings. Algo assim, viria substituir os animais de carne e osso?
Oque almejamos para nossas crianças? Mundo redoma de vidro? Tudo artificial até cães e gatos? E os verdadeiros, sendo humilhados e mortos à paulada, como o cãozinho Alegria, da UFRGS que foi adotado no Campus Agronomia e lá vivia?

Nenhum comentário: