12 de abr de 2011

Proteste Já: o perigo de andar de bicicleta em SP


Engraçado porque o Rafinha é do sul, onde moro atualmente (há mais de dez anos exatamente!)
Fui atropelada na avenida Ipiranga quando voltava para casa, por um coletivo que sequer parou, mesmo tendo me fraturado um osso no braço esquerdo como se quebra um palito de fósforos!
Em Sampa, apesar da falta de qualidade de verde que tanto se fala por aqui, e de que o local de meu acidente foi ao lado do Arroio Dilúvio, da Av. Ipiranga, que é um mini Tiête na capital dos gaúchos e das gaúchas, pouco ou nada se vê de fiscalização. Além do que, me senti a margem de tudo, pois me foi negado socorro que apenas aconteceu depois de quase uma hora na rua, porque uma guria que morava no prédio da frente de onde cai ficou a meu lado, e de tanto ligar para a SAMU conseguiu que uns brigadianos aparecessem para me largar quebrada, sozinha, na fila do HPS, para ser engessada depois de um bom tempinho!

Fiquei sem B.O. e, apenas fiquei com a impressão de que é licita a IMPUNIDADE no trânsito dessa cidade!

Ouço alguns ciclistas conhecidos meus que participam, dos manifestos na cidade apregoarem que, após o atropelamento no último dia 25 de fevereiro, de 2011 está bem mais tranquilo andar de bike pelos pampas.
A eles todos respondo, cantando "Meu caro amigo me perdoe por favor se eu não lhe faço uma visita, aqui na terra tão jogando futebol, tem muito samba, muito show de rock and roll, mas oque eu quero é lhe dizer..."Que a coisa aqui tá preta!!!!!!!!!!!!!!!!!!"

Nenhum comentário: