15 de jun de 2011

Bar da Banha: Algumas curiosidades sobre Gatos


Bar da Banha: Algumas curiosidades sobre Gatos
Resolvi postar sobre as curiosidades dos felinos encontrada no Blog do Bar da Banha...kkkkk

Hoje eu estou bem, e rindo bastante do que minha gata de nove anos, aproximadamente, me fez passar desde segunda-feira até a madrugada de quarta-feira.

Foi hilário demais!

Escrever, para mim, que falo bastante, é meio sem motivação, pois eu sou o tipo que faz comício e tenho horror a compromisso. Ou seja, eu sou FREE, sempre FREE. Ah! e eu sofri demais.

Na parte da manhã, como todos os dias faço, abri meus emails, enquanto tomava um rápido café para em seguida passear com a cadela NONÔ, ou Nonoka, Noviça, Nojenta/Asquerosa e todas as coisas mais. Bem, eu entrei para o quarto que tem terraço e soltei a cadela. A dita felina rebel, Bastet (nome de uma deusa egípcia)estava deitada nos pés da cama, quando ela resolveu descer e começar a criar atrito por causa da presença da cachorra. Me levantei da cadeira de frente ao computador e a tirei para o terraço, depois tendo a empurrado para fora. Mas muita calma, moramos num apto térreo, e a ela só caberia fazer a voltinha no páteo e entrar pela janela da cozinha.

Tranquilo! Apenas se passaram alguns minutos. Achei que talvez ela estivesse meio fora de forma e que fosse ter dificuldade no pulo para entrada da janela da cozinha. Mas, como ela não miou, e nem voltou na janela que eu estava, resolvi terminar de comer uma fruta. Terminado o feito, fui verificar se ela já estava dentro de casa e me surpreendi, notar que não tinha aparecido!

Indignada com a possibilidade de que pudesse ter sido sequestrada por algum arquiinimigo comecei a xeretar tudo, a obra de um edíficio nos fundos, os condomínios mais próximos ao meu e assim dava voltas pela rua, olhando embaixo de carros, cutucando bueiros, subindo e descendo as escadas de meu condomínio. Falava com pessoas conhecidas na rua, pedia ajuda aos pedreiros da obra, entrei em um apê de uma vizinha e ninguém me ajudava e as lágrimas começaram a suplantar o desespero e o choque das primeiras horas de busca alucinada! Minha cabeça pensava milhares de suposições para oque poderia ter acontecido numa fração de tempo tão curta!

Olha, não vai ser filme nem livro essa historinha, mas poderia bem ter sido; depois de dois dias de busca incessante, procurando em veterinários das redondezas, contatando ONGS, até mesmo tendo passado 3 horas na delegacia para registrar BO e (no desespero) feito até pergunta no Yahoo Answers, e sem nenhuma pista do paradeiro da gata, fui deitar ainda mais chateada.

Já eram mais de 2:30 da manhã quando meu filho bateu na porta do quarto, acendeu a luz e...

Surprise!


Tava com a gata no colo.

Depois de inventar as conspirações mais mirabolantes ou as tragédias mais sem sentido, fiquei vendo que a história era toda muito mais simples: a gata estava no apto de uma vizinha de porta, com o apê em reformas. A danada da gata, preguiçosa, nem tentou entrar pela janela; viu a porta de frente abrir, se esgueirou pra dentro e, vendo a primeira porta entre-aberta (pelos pedreiros da reforma), se jogou pra dentro e ficou lá escondida todo esse tempo.

Um dos moradores desse apê até disse que tinha ouvido miados de um gato pela madrugada do primeiro dia em que ela sumiu, mas achei que fossem de gatos que perambulam sem dono nos arredores de meu condominío. Ela consegui não chamar a atenção nem dos dois cães chiuauas que eles têm dentro do ape e latem ao primeiro sinal de barulho na porta!


Os gatos são mesmo muito muito especiais!

Nenhum comentário: