15 de dez de 2013

Por manutenção e conservação das obras da ciclovia Ipiranga

Quando estou me dirigindo a algum lugar, sempre observo as coisas acontecendo, mas quase nunca posso parar e registrar, como no caso destas fotos que fiz ao voltar de uma corrida que fui pela manhã no pq Marinha. E foram tiradas na altura das avenidas Ipiranga, com João Pessoa e rua Santana.

Eu vinha pedalando e inalando o mau odor que advém de dentro do arroio somado às inumeras sacolas de lixo, entulhos adentrando a pista e assim por diante. Quando resolvo registrar tudo!

Uma outra pessoa que usava camiseta de uma emissora também parou o carro ao notar o mesmo que eu,ou seja uma fumaça negra que ardia os olhos. Ele e eu fizemos vários registros fotográficos da situação. Ele me disse que sua emissora já havia denunciado sobre essas ocorrências de fogo com fumaça tóxica, mas que não teve qualquer repercussão benéfica! E, que os moradores das margens do arroio dilúvio produzem essa queima decorrente de furtos de fios de cobre que logo se transformam em fogaréu!
Mais a frente o trecho que fotografei das beiradas da ciclovia são do trecho mais novo, quase chegando na esquina da Silva Só com Ipiranga.

Eu fui a única que alertei as autoridades, técnicos e meia dúzia de gatos pingados que estiveram nas reuniões para discutir sobre a implementação das ciclovias na capital. Mas, muitos dos que agora se postam de defensores dos direitos de quem usa a bike riram achando que meu alerta era ingenuidade! Tudooooo bem que agora queiram embarcar na onda de militantes da causa, pois dai que agora é um assunto que dá ibope!

Nenhum comentário: